Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
1

Protesto pacífico contra proibição de apanha de conquilhas

Manifestação está marcada para esta terça-feira de manhã no porto de pesca de Olhão.
Tiago Griff 19 de Novembro de 2019 às 09:39
Embarcações de pesca de ganchorra que operam na ria Formosa estão em terra há mais de cinco meses
Embarcações de pesca de ganchorra que operam na ria Formosa estão em terra há mais de cinco meses FOTO: Direitos Reservados
Mais de 25 embarcações de pesca da ganchorra na ria Formosa estão em terra há mais de cinco meses, porque não podem apanhar conquilhas devido a uma interdição implementada pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera depois de análises terem detetado biotoxinas nos bivalves. Face às dificuldades financeiras que os profissionais do setor têm estado a sofrer, está marcado para hoje um protesto de pescadores e armadores, no porto de pesca de Olhão, para sensibilizar o Governo para o problema.

"É um protesto pacífico e esperamos contar com um grande número de pescadores porque esta situação está a afetar de uma forma muito negativa a vida destas pessoas", disse ao CM Miguel Cardoso, da Olhãopesca, uma das maiores associações de pescadores e armadores da região.

Segundo as análises, tem sido registada a presença de DSP nas conquilhas, que causa diarreias e outros problemas de saúde a quem as consumir. No entanto, os pescadores duvidam dos valores destas análises, uma vez que há registo de pessoas a consumirem estes bivalves supostamente afetados pela toxina e sem que tal tenha causado problemas de saúde. "Pedimos aos especialistas que aprofundem mais este tema", referiu ainda Miguel Cardoso.

A continui- dade deste tipo de pesca está em vias de ficar em perigo, uma vez que as embarcações de ganchorra não têm capacidade estrutural para enveredar por outro tipo de pescarias.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)