Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

Protestos aceleram

O plano de requalificação da EN125, apresentado com pompa e circunstância por José Sócrates e que prevê o investimento de 150 milhões de euros, está a gerar protestos em algumas autarquias, que não viram contempladas obras consideradas importantes. Há ainda acusações de falta de diálogo da parte do Governo. Os autarcas sociais-democratas são os que mais se queixam.
7 de Abril de 2008 às 00:30
Loulé não viu contemplada a muito prometida circular à cidade
Loulé não viu contemplada a muito prometida circular à cidade FOTO: Rui Pando Gomes

Macário Correia, presidente da Câmara de Tavira, garante que o Governo não lhe deu conhecimento oficial do que está previsto para o concelho. Mas o secretário de Estado das Obras Públicas, Jorge Campos, já fez saber publicamente que uma das grandes reivindicações da autarquia não será contemplada por razões ambientais – a Variante à Luz de Tavira. Macário considera isso 'preocupante' e refere que 'os problemas ambientais existem em toda a EN125', dando como exemplo o que se passa em Faro e Olhão.

O presidente da Câmara de Loulé, Seruca Emídio, também tem razões de queixa, frisando que foi confrontado com 'um facto consumado'. A autarquia contesta, de forma unânime, a não inclusão da circular a Loulé, obra assumida, há oito anos, como contrapartida pela construção do aterro sanitário do Sotavento. Já foram mesmo feitas expropriações e uma empresa já havia vencido o concurso, mas nada vai avançar. Seruca não compreende ainda que tenha de ser a Câmara a suportar a construção da ligação de Loulé ao Parque das Cidades e a requalificação da EN125 em Quarteira.

QUEIXAS NO BARLAVENTO

Em Lagoa, o presidente da autarquia, José Inácio, afirma que só está 'parcialmente satisfeito'. Motivo: a variante à cidade, que 'é uma obra verdadeiramente estruturante', ficou esquecida. As filas de trânsito, sobretudo na altura da Fatacil, prometem continuar.

No concelho vizinho de Silves, a autarca Isabel Soares afirma que foi 'com espanto' que constatou que o plano do Governo não contemplava a ligação directa da rotunda de Alcantarilha a Armação de Pêra. A obra havia sido prometida por anteriores Governos e Câmara já gastou 60 mil euros no projecto.

Em Lagos, a variante à cidade consta no projecto, mas a de Odiáxere não. A justificação dada pelo Governo prendeu-se com motivos ambientais. O presidente da autarquia, Júlio Barroso, diz que não descansará enquanto a obra não for feita.

APOLINÁRIO SATISFEITO

Faro é um dos concelhos que mais beneficiará do plano de requalificação da EN125. José Apolinário, presidente da autarquia, salienta que o Governo mostrou sentido de equilíbrio, dado que a capital de distrito apresenta actualmente grandes condicionamentos ao nível das acessibilidades. Apolinário frisa que 'Faro tem sido muito penalizado em termos de investimentos rodoviários ao longo dos anos', problema que o actual Governo vem agora 'romper'.

Desidério Silva, presidente da edilidade de Albufeira, está também satisfeito com o plano, frisando que 'as situações mais importantes foram contempladas pelo Governo', como é o caso da ligação da Via do Infante à cidade.

NOVA PONTE ADIADA

A Câmara de Portimão defendia que, no âmbito do projecto de requalificação da EN125, fosse contemplada a construção de um nova ponte sobre o rio Arade, na zona da Foz. A proposta não foi atendida pelo Governo, mas a reivindicação mantém-se. Para mais, a velha ponte metálica teve de ser fechada para obras, devido ao seu estado de degradação, o que veio gerar dificuldades acrescidas ao acesso à cidade, pelo menos, até 2009. Curiosamente, Portimão foi o concelho escolhido pelo primeiro-ministro para, em meados de Março, anunciar a Concessão Algarve Litoral.

OUTROS CONCELHOS

VRSA

Luís Gomes, presidente da Câmara de Vila Real de Santo António, lembra que a autarquia não ficou à espera do Governo, tendo avançado com trabalhos de requalificação ao longo de troços da EN125.

VILA DO BISPO

Gilberto Viegas, presidente da autarquia bispense, considera que o plano governamental devia contemplar uma variante na Raposeira e a reformulação de vários cruzamentos.

OLHÃO

A variante de Olhão é uma das grandes obras que vai avançar. Francisco Leal, que chefia o executivo camarário, defendia a construção de duas faixas de cada lado, mas terá de se contentar com uma.

S. BRÁS

António Eusébio, responsável pela autarquia de S. Brás de Alportel, está satisfeito com o plano de requalificação, que prevê a ligação a Faro: 'É magnífico para a região.'

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)