Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

Provoca incêndio para ter casa nova

A casa de Manuela Gesto, no Bairro do Regado, no Porto, ardeu pela segunda vez na passada quarta-feira, alegadamente devido a um curto-circuito. Ontem, e uma vez que a casa já tinha sido alvo de incêndio três dias antes, a mulher foi detida pela Polícia Judiciária que acredita ter sido a própria Manuela a provocar o incêndio, por querer que lhe fosse atribuída uma nova habitação.
19 de Setembro de 2009 às 00:30
Manuela Gesto mora com o marido no Bairro do Regado, no Porto
Manuela Gesto mora com o marido no Bairro do Regado, no Porto FOTO: Sónia Caldas

Em pouco tempo, a moradora passou de vítima a arguida e já foi sujeita a um primeiro interrogatório judicial, no qual ficou decidido que se apresentará semanalmente às autoridades.

As perícias efectuadas pela Polícia Judiciária indiciam que o incêndio terá deflagrado a partir da sala e da cozinha e que não seria possível que ardesse toda a casa, como aconteceu.

Por sua vez, a proprietária da habitação continua a afirmar que foi um curto-circuito a desencadear as chamas. "Ela nega. Diz que não ia deitar fogo a algo que a fosse prejudicar e que não faz sentido até porque o seguro dela cobre muito pouco do que ardeu", disse ao CM Carla Vieira, advogada de Manuela.

No Bairro do Regado, fala-se de algumas queixas de moradores devido a curtos-circuitos, mas nada que tenha sido provocado. "Fala-se de que há uma ou outra casa que poderá ter menos condições, mas, de resto, pelo que sei, até se tem feito alguns arranjos", revelou um comerciante que preferiu não ser identificado.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)