Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

PS recusa acordo com a direita

Costa diz que concorda com Passos quanto a impossibilidade de acordo entre os partidos.
José Rodrigues 16 de Maio de 2015 às 13:28
Costa visitou esta sexta-feira o Centro de Excelência para a Inovação da Indústria Automóvel em Matosinhos
Costa visitou esta sexta-feira o Centro de Excelência para a Inovação da Indústria Automóvel em Matosinhos FOTO: José Coelho/Lusa
António Costa e Passos Coelho chegaram, por fim, a um acordo, que é o de haver um total desacordo quanto a um governo de Bloco Central. Depois de Passos Coelho ter dito, em entrevista ao ‘Sol’, que um acordo de governo entre PSD/CDS/PS "não teria condições para funcionar", António Costa respondeu ontem dizendo que concordava: "Fico contente porque finalmente há uma intervenção do primeiro-ministro com a qual concordo. Claro que não há nenhuma possibilidade de entendimento entre o PS e a coligação de direita." O líder do PS explicou que "as alternativas são muito claras". Ou seja, "os portugueses vão ter a possibilidade de escolher dois caminhos absolutamente distintos nas suas prioridades e a sua forma de governação".

As posições de Passos e de Costa deixam claro que ambos os partidos vão lutar por uma maioria nas legislativas. E sobre isso, Costa foi perentório: "Passos Coelho está de repente com visões bastante corretas. Eu acho útil que o País tenha maioria. É para isso que o PS está a trabalhar."
António Costa Passos Coelho PSD CDS PS política partidos eleições legislativas
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)