Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

PSP caça 50 carros

E agora, como é que vou para casa?” Esta foi a pergunta que mais se ouviu na madrugada de ontem na 2.ª Circular, em Lisboa. E o caso não era para menos: quem fazia a pergunta acabava de ver o seu carrinho todo artilhado ser apreendido pela PSP, na maior operação de sempre que esta força fez no controlo de viaturas modificadas de ‘tunning’ e ‘street racers’.
15 de Janeiro de 2006 às 00:00
A polícia fiscalizou os carros utilizados em corridas nas estradas
A polícia fiscalizou os carros utilizados em corridas nas estradas FOTO: Manuel Moreira
Ao todo, esta operação da PSP, que levou ao corte e controlo da 2.ª Circular em ambos os sentidos, entre o Prior-Velho e o Radar do Aeroporto, resultou na apreensão de 50 viaturas modificadas, bem como na detecção de mais 46 viaturas em excesso de velocidade, 27 sem inspecção obrigatória e seis sem seguro. Foram ainda feitas cinco detenções, três por excesso de álcool e duas por falta de carta.
Durante cerca de cinco horas, os 200 efectivos da PSP não tiveram mãos a medir para mandar parar o pessoal da pesada. No posto de controlo junto ao aeroporto foram apreendidas mais de 20 viaturas, logo nas primeiras três horas da operação. E para trás de cada posto de controlo, uma fila medonha de condutores apanhados desprevenidos por esta operação opinada.
A cada carro sem estar regularizado foi aplicada uma coima de 250 euros.
AGRESSIVIDADE
As reacções dos condutores autuados, na sua maioria jovens do sexo masculino, foram variadas. Desde os que se insurgiram verbalmente com alguma agressividade – um deles acabou por partir o óculo traseiro do seu próprio carro – outros levaram o assunto na desportiva e até aproveitaram a sofisticada aparelhagem de som do carro para ‘botar’ música no ar. Num dos casos levou mesmo à intervenção directa do comissário responsável da operação, Lopes de Oliveira. Nem a propósito, os altifalantes da ‘bomba’ debitavam na altura o refrão de um hip-hop africano: “Olha o respeito!”.
“A 2.ª Circular estava a ser palco, nos últimos tempos, de corridas de carros modificados, por entre o trânsito normal, já de si intenso, criando um enorme risco”, disse fonte da PSP.
AS ROTAS PERIGOSAS DA VELOCIDADE
O Eixo Norte/Sul, a CRIL, a zona do Trancão e a Ponte Vasco da Gama são os locais onde, ultimamente, os ‘street racers’ costumam juntar-se para as suas exibições e corridas. E por detrás destas estão muitos interesses, já que, na maioria dos casos, estão em jogo entre os competidores os livretes das próprias viaturas, valorizadas pelas transformações.
Numa das viaturas apreendidas ontem o seu proprietário disse ter gasto 5000 euros no sistema de som e 1300 nos estofos. Outro carro, alegadamente importado da Alemanha, tem uma potência de 380 cavalos/força. Mas não impediu que na hora do arranque, depois da fiscalização tivesse falhado a bateria.
Os carros apreendidos nestas operações da PSP são rebocados pela polícia e “só podem ser restituídos aos proprietários depois de uma inspecção extraordinária da Direcção-Geral de Viação, feita com base no auto de apreensão por alteração das características”, disse o responsável pela operação de ontem, comissário Lopes de Oliveira, da Divisão de Trânsito da PSP de Lisboa.
OUTROS DADOS
PROTESTOS
O engarrafamento na 2.ª Circular, já que o tráfego foi reduzido apenas a uma faixa, motivou o descontentamento de centenas de condutores que inesperadamente viram a sua viagem atrasar cerca de duas horas.
QUILÓMETROS
O dispositivo que a PSP montou espalhou-se ao longo de seis quilómetros para cada lado da 2.ª Circular teve 12 postos de controlo entre o Prior Velho e as bombas de gasolina junto ao radar do Aeroporto da Portela.
OPERAÇÕES
Entre Janeiro e Novembro de 2005, a Divisão de Trânsito da PSP de Lisboa efectuou 500 operações, com 2000 detenções por excesso de álcool e 1900 por falta de carta de condução, segundo dados oficiais provisórios.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)