Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

PSP sem agentes fecha esquadra de Arroios

Efetivo desta esquadra desviado para patrulhar Baixa lisboeta.
Miguel Curado 26 de Dezembro de 2017 às 08:38
Esquadra de Arroios, no centro de Lisboa, vai permanecer fechada por falta de efetivo até ao dia 2 de janeiro
Aviso está afixado à porta
Esquadra de Arroios, no centro de Lisboa, vai permanecer fechada por falta de efetivo até ao dia 2 de janeiro
Aviso está afixado à porta
Esquadra de Arroios, no centro de Lisboa, vai permanecer fechada por falta de efetivo até ao dia 2 de janeiro
Aviso está afixado à porta
A falta de agentes policiais para assegurar o patrulhamento de visibilidade no Natal e Ano Novo levou o Comando da PSP de Lisboa a encerrar a esquadra de Arroios, desviando o efetivo para garantir a segurança na zona da Baixa.

A decisão foi comunicada aos munícipes através da afixação de um aviso, que está visível na porta encerrada da esquadra, desde a passada sexta-feira. "A PSP informa que por imperativos de ordem operacional, o serviço de atendimento ao público será encerrado entre as 19h00 de 22 de dezembro e as 24h00 de 2 de janeiro de 2018". Além deste texto, os moradores daquela zona são aconselhados a deslocar-se até às esquadras da rua da Prata e da rua da Palma, em caso de necessidade.

O CM sabe que a esquadra de Arroios tem um efetivo de cerca de dez elementos. Mas todos os agentes estão agora empenhados na vigilância à zona comercial da Baixa de Lisboa. Fonte do Comando de Polícia de Lisboa disse ao CM que este encerramento foi decidido "uma vez que a esquadra de Arroios já é vista como um posto de atendimento". Estas instalações, de resto, integram o plano de fecho de esquadras da PSP em Lisboa e Porto, elaborado pelo Governo PSD/CDS que, sabe o CM, o atual Governo quer agora levar a cabo. Para Peixoto Rodrigues, presidente do Sindicato Unificado da PSP, esta é "mais uma demonstração clara da falta de efetivos, em concreto num comando complexo como o de Lisboa. Por isso, se é encarada como um posto de atendimento, deve mesmo ser fechada".

Vinho, leitão e batatas na ceia dos polícias
O Comando Metropolitano da PSP de Lisboa distribuiu, aos agentes da PSP de serviço na noite da Consoada, uma refeição de leitão assado, batatas fritas de pacote e uma garrafa de vinho. Os agentes tiveram ainda direito a uma fatia de bolo na noite de Natal. Esta foi a solução encontrada pelos comandantes da principal unidade da PSP no país Para suprir o fecho de todas as messes e refeitórios destinados às refeições dos polícias. A necessidade de reforço de patrulhamento nas várias divisões do Comando da PSP da capital levou, este ano, a que o efetivo de serviço levasse as refeições nas respetivas viaturas, permitindo assim maior eficácia no trabalho policial.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)