Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

PSP trava carro a tiro

Polícia atropelado, cinco disparos ao automóvel, dois feridos a tiro e a fuga do condutor a pé foi o balanço daquela que seria, à partida, uma simples operação de fiscalização de trânsito conjunta, entre PSP e GNR, sexta-feira à noite, na zona de Elvas.
2 de Janeiro de 2006 às 00:00
Um condutor sem carta furou a operação stop, sexta-feira à noite, na Estrada Nacional 4, em Elvas. Os agentes responderam a tiro
Um condutor sem carta furou a operação stop, sexta-feira à noite, na Estrada Nacional 4, em Elvas. Os agentes responderam a tiro FOTO: Vítor Mota
A noite estava calma e o dispositivo montado na Estrada Nacional 4 parecia capaz de dissuadir qualquer um. Mas não foi. E quase acabou em tragédia para o agente da PSP que deu ordem de paragem a um Opel Kadett, cerca das 23h00. Escapou à morte com um salto de instinto para trás – e foi atingido de raspão pelo carro que se pôs em fuga, a grande velocidade, a partir do nó de Varches, no acesso à A6, que faz a ligação a Espanha por Elvas.
Na memória de todos estão ainda as circunstâncias da morte do chefe da PSP de Lagos, no último mês, e os agentes não facilitaram.
Enquanto o polícia atropelado se contorcia com dores, logo outro sacou da sua arma e atirou cinco vezes. Uma bala entrou na traseira do automóvel, uma numa jante, outra na chapa da matrícula – e as últimas duas apanharam dois dos ocupantes, sentados no banco de trás.
Os cinco tiros de pistola e dois dos três amigos feridos terão arrefecido as ideias ao condutor, que acabou por parar o automóvel, cem metros à frente. E em poucos segundos, os ocupantes do Opel Kadett estavam cercados por todos os lados, onde não faltavam elementos da GNR e do Comando da PSP de Portalegre, fortemente armados.
Só que do condutor do Opel nem sinal. Fugiu a pé sem deixar rasto, entrou por uma zona de mato e deixou para trás o seu automóvel com três ocupantes, dois deles a precisarem de assistência médica.
Os quatro fugitivos dirigiam-se para Espanha, provavelmente para passar o final de ano. Mas o condutor do Opel Kadett não teria carta de condução, motivo pelo qual terá decidido arriscar – e lançar-se numa fuga à polícia sem olhar a meios, que passou pela investida sobre um dos agentes da PSP.
O CM tentou obter ontem, junto da GNR e PSP de Portalegre, mais pormenores sobre este caso, mas, devido ao facto de ser feriado, todos os esclarecimentos foram remetidos para hoje. Sabe-se que todos os ocupantes do automóvel são residentes em Évora, os dois feridos foram assistidos no Hospital de Elvas e o automóvel não será roubado. O condutor já foi identificado e deverá ser hoje presente a tribunal.
Ver comentários