Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Quatro feridos em sopro de fogo em Santa Comba Dão

Incêndio em habitação deixa casal de ex-emigrantes sem tecto.
Luís Oliveira 18 de Junho de 2019 às 11:16
Quatro feridos em sopro de fogo em Santa Comba Dão
Quatro feridos em sopro de fogo em Santa Comba Dão
Quatro feridos em sopro de fogo em Santa Comba Dão
O proprietário da habitação, Jaime Sá
O proprietário da habitação, Jaime Sá
Quatro feridos em sopro de fogo em Santa Comba Dão
Quatro feridos em sopro de fogo em Santa Comba Dão
Quatro feridos em sopro de fogo em Santa Comba Dão
O proprietário da habitação, Jaime Sá
O proprietário da habitação, Jaime Sá
Quatro feridos em sopro de fogo em Santa Comba Dão
Quatro feridos em sopro de fogo em Santa Comba Dão
Quatro feridos em sopro de fogo em Santa Comba Dão
O proprietário da habitação, Jaime Sá
O proprietário da habitação, Jaime Sá
"Ouvi rebentamentos e cheirava a fumo. Quando cheguei à garagem já estava tudo a arder. Foi por muito pouco que a casa não ardeu toda", descreve ao CM Jaime Sá, o proprietário da casa que ficou parcialmente destruída num incêndio que começou na garagem, na aldeia de Cagido, Santa Comba Dão. Quatro pessoas ficaram feridas quando tentavam apagar as chamas, atingidas por um sopro de fogo oriundo do interior da garagem.

O alerta para as chamas foi dado às 02h55 de segunda-feira. Em desespero e antes da chegada dos bombeiros, os proprietários gritaram por socorro aos vizinhos que acorreram ao local.

"Ainda tentámos controlar as labaredas, mas elas eram muito fortes", referiu Jaime Sá, agradecendo a ajuda dos seus vizinhos. "Fizeram o que puderam e estou muito triste porque houve pessoas feridas",adiantou o proprietário da habitação, ex-emigrante na Alemanha.

Os feridos são a mulher de Jaime Sá, com cerca de 65 anos; um vizinho, reformado da GNR; uma jovem de 28 anos, filha deste, e um outro homem que ficou com ligeiras escoriações. O ferido grave é o antigo GNR que tem lesões na zona do peito e face. Foi assistido no local e levado de ambulância para o heliporto dos Bombeiros de Santa Comba Dão e depois transportado de helicóptero para a unidade de queimados do Hospital de Santa Maria, em Lisboa.

"Quando chegámos, a garagem estava tomada pelas chamas", descreve Rui Leitão, dos Bombeiros de Santa Comba Dão. A PJ está a investigar.
Ver comentários