Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
1

"Que não caia em esquecimento a barbaridade": Família de PSP morto à pancada em Lisboa faz apelo e exige justiça

Tia madrinha de Fábio Guerra deixa texto emocionado nas redes sociais.
Correio da Manhã 16 de Abril de 2022 às 20:01
Fábio Guerra era agente da PSP e tinha 26 anos
Fábio Guerra era agente da PSP e tinha 26 anos FOTO: Direitos Reservados
A tia madrinha do agente da PSP Fábio Guerra, que morreu após ter sido brutalmente agredido, pede justiça em nome da família e amigos numa publicação partilhada nas redes sociais. "Que não caia em esquecimento o ódio com que o tiraram de nós... Estes 3 monstros que paguem bem pago", salientou Sandra Serra, no Facebook.

Numa mensagem emotiva, Sandra Serra destaca que já nenhum dos seus vai "poder tê-lo de volta" como bem queriam. "Por ele, pelos colegas agentes da autoridade PSP, entre outras... Que estes agentes possam agir sem serem eles sempre os maus da fita... Que tenham o direto de se defenderem...", reforçou.

"Infelizmente para o nosso menino já não vai servir de nada, pois foi morto à covardia, inanimado no chão", lê-se na publicação.

Em nome dos famíliares e amigos, Sandra Serra denota que "agora foi ele.... a seguir pode ser um outro agente".

"Não vamos deixar cair em esquecimento a partida do nosso Fábio Guerra. Só queremos justiça", terminou a mensagem, apelando à partilha.

Fábio Guerra, de 26 anos, foi vítima de brutal agressão na madrugada do dia 19 de março, no exterior da discoteca Mome, em Lisboa, quando tentava "intervir com o objetivo de fazer cessar agressões em curso entre dois grupos". 


PSP Lisboa Fábio Guerra Sandra Serra Facebook questões sociais
Ver comentários