Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Queda fatal quando tentava furtar cobre

Joaquim Saavedra queria fazer dinheiro para comprar carne.
João Tavares 14 de Março de 2015 às 09:14
Queda fatal quando tentava furtar cobre

Joaquim Saavedra partilhava a vida com Lídia e sobreviviam com 178 euros por mês. Na próxima sexta-feira, ia fazer 58 anos. "Ele disse-me que ia tentar arranjar cobre para termos dinheiro para comprar carne e fazermos um churrasco no aniversário." Uma tragédia interrompeu os planos do casal. Joaquim morreu ontem de manhã, após uma queda de 10 metros, a partir do telhado de uma antiga fábrica na Moita. Estava a tentar furtar cobre.

"Ele por vezes ia lá para a fábrica, mas tirava o cobre do chão. Desta vez foi para o telhado e aconteceu isto. Ontem [quinta-feira], disse-lhe para ter cuidado. Foram estas as minhas palavras", contou ao CM Lídia Felgueiras, de 65 anos, companheira da vítima mortal.

O CM esteve ontem no local da tragédia e deparou-se com um enorme buraco na cobertura da antiga fábrica de arame. O corpo de Joaquim Saavedra acabou por ser descoberto pelas 08h30 da manhã. Ao lado do corpo estava a placa do telhado que cedeu.

A GNR isolou o local, tendo a Polícia Judiciária sido chamada para despistar um eventual crime. Após as perícias, o corpo acabou por ser retirado pelos bombeiros da Moita.

Joaquim Saavedra morreu a cerca de 150 metros de casa. "Eu nem quero agora imaginar como vai ser a minha vida. Ele fazia tudo por mim, era muito meu amigo. O dinheiro mal dá para os medicamentos", concluiu Lídia Felgueiras.

Joaquim Saavedra Lídia Felgueiras GNR acidentes e desastres queda fatal roubo cobre
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)