Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Quercus quer fim da caça no Baixo Vouga

A organização ambientalista Quercus defende o fim da caça no Baixo Vouga Lagunar e reclama a fiscalização intensiva da área, para impedir os incêndios que destroem habitats de elevado valor.
10 de Novembro de 2007 às 00:00
“Somos pelo fim da Caça no Baixo Vouga Lagunar, e, como medida dissuasora dos atentados ambientais nesta área, entre eles os incêndios, exigimos uma fiscalização intensa (diurna e nocturna) por parte das autoridades”, declarou ontem, em comunicado, o núcleo regional de Aveiro da Quercus.
No mesmo documento, a Quercus dá conta de que, entre 2 e 8 de Novembro, “uma extensa área de Junco e Caniço, área de elevada importância natural, foi ardendo no concelho de Estarreja”. Segundo a organização, já em 2004 arderam cerca de 85 hectares e em 2005 cerca de 115 hectares, sendo que “os incêndios surgiram a partir do momento em que o regime cinegético ficou ordenado”.
A área ardida no Baixo Vouga, acentua o comunicado, está inserida na Zona de Protecção Especial (ZPE) da Ria de Aveiro ao abrigo da Directiva Aves, sendo de grande importância para a conservação das aves selvagens.
Os incêndios “têm vindo a destruir o habitat de nidificação de casais de Águia-sapeira, espécie ameaçada, e que possui na Ria de Aveiro um efectivo populacional muito importante no contexto nacional”.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)