Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

“Querem fazer um filme da minha vida”

Clemente Silva deu ontem mais um passo para saber toda a verdade da sua vida, ao realizar testes de ADN no Instituto de Medicina Legal (IML) do Porto. A história, iniciada em 2007, quando desconfiou de que tinha uma irmã gémea (Maria José), filha do avô (Manuel Fernandes), resultado de uma relação incestuosa com a filha mais velha (Irene), já terá despertado o interesse de produtoras para a realização de um filme ou de uma telenovela.
13 de Agosto de 2010 às 00:30
Clemente Silva, de 44 anos, está desde 2008 a tentar saber toda a verdade sobre a sua vida
Clemente Silva, de 44 anos, está desde 2008 a tentar saber toda a verdade sobre a sua vida FOTO: Jorge Paula

"Querem fazer um filme da minha vida, mas primeiro quero é descobrir se as minhas suspeitas são ou não verdade", contou ao CM o empresário de Fafe, de 44 anos, que ontem de manhã esteve no IML para realizar testes de ADN.

A recolha das amostras, ordenada pelo Tribunal de Guimarães, onde decorre o processo para averiguar a paternidade de Clemente Silva, tem como objectivo fazer a comparação entre o seu ADN e o da alegada mãe (Irene) e o de Manuel Fernandes, suposto pai/avô. O empresário tem "a certeza de que é fruto de uma relação entre Manuel Fernandes e a filha mais velha".

Além de Clemente Silva, ontem, a suposta mãe também esteve no IML do Porto para efectuar testes de ADN. Anos antes, Clemente Silva confirmou que tinha uma irmã gémea (Maria José), também através de teste de ADN. "Somos irmãos gémeos, mas eu fui registado com 10 dias de diferença. Ela foi criada como filha do Manuel Fernandes e da sua mulher; logo, como irmã da mãe", esclareceu.

Enquanto Maria José foi criada com Manuel Fernandes, Clemente Silva diz ter sido entregue a uma família, cuja mãe que o criou será sobrinha da mulher do seu pai/avô.

Um dos episódios recentes deste processo de averiguação de paternidade aconteceu no início do mês, quando a GNR interrompeu o velório de Manuel Fernandes para levar o corpo ao Centro Hospitalar do Ave, onde os delegados fizeram a recolha de amostras de ADN.

Ver comentários