Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

Recluso em fuga ameaçava matar

Cadastrado aproveitou saída precária e assaltou bancos em Ponte de Lima, Macedo de Cavaleiros e S. João da Madeira. Atacou ainda CTT em Estarreja.
Liliana Rodrigues 6 de Dezembro de 2014 às 14:02
O Novo Banco, em S. João da Madeira, foi um dos alvos do assaltante de 43 anos
O Novo Banco, em S. João da Madeira, foi um dos alvos do assaltante de 43 anos FOTO: CMTV

Passou 14 anos preso na cadeia e mal saiu em precária voltou aos assaltos violentos. Em menos de dois meses, roubou milhares de euros em três bancos e num posto dos CTT, em todo o norte do País. Foi apanhado pela Polícia Judiciária do Porto e já voltou ao Estabelecimento Prisional de Paços de Ferreira, de onde estava evadido desde 13 de outubro passado.

Atuou sempre encapuzado e apontava, sem hesitar, uma pistola com um silenciador, deixando as vítimas aterrorizadas. O ladrão – de 43 anos e especialista em assaltar bancos – foi condenado a cumprir 16 anos e meio de prisão por roubos violentos. Em 2016, terminaria a sentença a que foi condenado em 2000, mas não resistiu a uma saída precária, autorizada em meados de outubro passado.

Logo no dia seguinte, dia 14, irrompeu no banco Santander Totta, em Ponte de Lima, onde roubou milhares de euros. A 4 de novembro, deslocou-se até Macedo de Cavaleiros e assaltou a dependência bancária BIC. No início desta semana, dia 1, fez duas investidas no distrito de Aveiro: primeiro ao posto dos CTT em Estarreja, cerca das 11h30, mas, como só levou 70 euros, voltou a atacar em S. João da Madeira. Este último alvo foi o Novo Banco.

Em todos os assaltos que cometeu, ameaçou de morte os funcionários das dependências e exigiu a entrega de todo o dinheiro que havia nas caixas registadoras. O ladrão foi detido num apartamento que arrendou, em Gaia, e onde vivia sozinho desde que fugiu. A arma foi recuperada.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)