Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Rede com sete burlões engana 40 empresas

Uma rede que criou empresas falsas para burlar outras sociedades começou ontem a ser julgada no Tribunal de Santarém, num megaprocesso em que só o Ministério Público arrolou 122 testemunhas.
2 de Fevereiro de 2011 às 00:30
Tribunal de Santarém
Tribunal de Santarém FOTO: direitos reservados

Sete arguidos, com idades entre os 32 e os 61 anos, estão acusados de burlar mais de 40 empresas do ramo alimentar, venda de rações e criação e abate de gado, entre outras, arrecadando 370 mil euros.

Segundo a acusação, os arguidos compraram bens às firmas lesadas sem nunca terem intenção de os pagar, entregando-lhes cheques furtados e sem provisão bancária. Paralelamente, vendiam as mercadorias a preços abaixo dos praticados no mercado. Os principais arguidos deste processo estão a ser julgados noutras comarcas do País, também por crimes de burla qualificada.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)