Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

Rede usava armazém para produzir canábis

Cinco homens geriam atividade de produção e venda de droga e estão a ser julgados.
Pedro F. Guerreiro e Tiago Griff 29 de Outubro de 2017 às 08:45
Estufa tinha um sofisticado sistema de rega, ventilação, controlo de humidade, temperatura e luminosidade
Plantação de canábis
Planta de canábis
Estufa tinha um sofisticado sistema de rega, ventilação, controlo de humidade, temperatura e luminosidade
Plantação de canábis
Planta de canábis
Estufa tinha um sofisticado sistema de rega, ventilação, controlo de humidade, temperatura e luminosidade
Plantação de canábis
Planta de canábis
À primeira vista, aquele parecia apenas mais um armazém na zona industrial de Olhão. Só que, no interior, a GNR encontrou uma sofisticada estufa para cultivo de canábis para venda em Portugal e Espanha. Cinco homens, que geriam o negócio de tráfico de droga, estão a ser julgados no Tribunal de Faro.

A estufa, com mais de 300 plantas de canábis no seu interior, foi desativada pelo Núcleo de Investigação Criminal da GNR de Tavira a 30 de agosto de 2016.

O homem suspeito de ser o líder da rede, de 40 anos e nacionalidade holandesa, fugiu do País quando a GNR avançou para a apreensão, que resultou na detenção de três pessoas e na desativação da estufa. Acabou por ser capturado, em Espanha, ao abrigo de um mandado de detenção europeu.

De acordo com a acusação do Ministério Público, os cinco arguidos tinham muitos clientes, "alguns dos quais no estrangeiro, para onde encaminhavam a maior parte da produção" que obtinham a partir da estufa que estava "dotada de sofisticados sistemas de rega, ventilação, controlo da humidade, temperatura e luminosidade".

O julgamento dos cinco homens prossegue no dia 8 de novembro, no Tribunal de Faro.

PORMENORES 
Paradeiro desconhecido
Cinco homens - três holandeses e dois portugueses - estão acusados do crime de tráfico de estupefacientes. Quatro deles estão em prisão preventiva, enquanto outro, holandês, está em paradeiro desconhecido.

Centro escondia canábis
No âmbito do mesmo processo, seis outras pessoas (três homens e três mulheres) respondem por tráfico de menor gravidade. Tinham pelo menos 20 plantas de canábis numa estufa de um centro de jardinagem, em Santa Catarina da Fonte do Bispo, Tavira, que se destinavam essencialmente a consumo.
Ver comentários