Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

Regada com ácido

Uma mulher de Barroselas, Viana do Castelo, morreu na quarta-feira, após ter estado em coma durante dois meses em consequência de ter sido regada com ácido e queimada, informou um membro da família. O crime terá sido cometido pelo homem com quem a vítima vivia.
4 de Maio de 2007 às 00:00
A mulher, de 44 anos, sofreu queimaduras em praticamente todo o corpo, excepto na cara, e estava internada no Hospital da Prelada, no Porto, desde 2 de Março. Acabou por não resistir aos ferimentos.
A vítima, mãe de três filhos, um dos quais menor, queixava-se constantemente que o companheiro chegava a casa “sempre bêbedo”, disseram os seus familiares.
“Ela queria pô-lo fora de casa, para se ver livre dele de uma vez por todas, mas ele sempre se recusou a sair”, acrescentaram.
No dia em que tudo aconteceu, o homem disse à GNR que a mulher se queimou quando estava a desinfectar umas feridas com álcool e acendeu inadvertidamente um cigarro.
Posteriormente, alegou que foi ela própria que decidiu regar-se com álcool para “experimentar a sensação de ser queimada”.
“A verdade é que o referido frasco de álcool nunca mais apareceu, havendo fortes suspeitas de que no interior estaria um líquido bem mais corrosivo, tendo em conta a gravidade e a extensão das queimaduras”, salientaram os familiares da vítima. A GNR já participou o caso ao Ministério Público. O suspeito do crime aguarda em liberdade pelo desenrolar do processo.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)