Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

Reitor desvia milhões e escapa à cadeia

Salvato Trigo condenado a um ano e três meses de prisão por infidelidade patrimonial, no Porto.
Aureliana Gomes 19 de Maio de 2018 às 01:30
Salvato Trigo
Salvato Trigo nega acusações
Universidade Fernando Pessoa
Salvato Trigo
Salvato Trigo nega acusações
Universidade Fernando Pessoa
Salvato Trigo
Salvato Trigo nega acusações
Universidade Fernando Pessoa
Salvato Trigo, o reitor da Universidade Fernando Pessoa, foi esta sexta-feira condenado pelo Tribunal do Bolhão, Porto, a um ano e três meses de prisão, pena suspensa, por infidelidade patrimonial.

A sociedade Erasmo, detida pelo arguido e família, vai ter que pagar cerca de 2,2 milhões de euros ao Estado, valor que corresponde ao prejuízo causado à Fundação Ensino e Cultura Fernando Pessoa, proprietária da universidade. No entanto, se a fundação - também presidida por Salvato Trigo - o solicitar, poderá ser ressarcida com essa verba.

A sentença foi lida na ausência do arguido. O juiz José Guilhermino Freitas explicou que o reitor se aproveitou do facto de liderar a fundação para uso em benefício próprio. "Usou a sua inteligência e criatividade para obtenção de vantagens económicas a favor da sociedade à qual estava ligado", afirmou o magistrado.

Ao todo, estavam em causa cinco negócios efetuados entre a Erasmo e a Fundação Fernando Pessoa. O mais prejudicial para a fundação foi a compra, em 2006, de uma casa que alberga atualmente a Escola de Pós-Graduações da instituição, na praça 9 de Abril, em Arca d’Água. O imóvel foi adquirido formalmente pela sociedade, no valor de 1,4 milhões. Como não tinha verba suficiente, a Erasmo pediu um empréstimo de 1,2 milhões à universidade.

O julgamento começou em outubro do ano passado e decorreu à porta fechada a pedido do arguido.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)