Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

Renato Seabra "é um homem bastante doentio"

Richard Tirelli, o detective da equipa de homicídios de Manhattan a quem Renato Seabra confessou ter morto e mutilado, a 7 de Janeiro de 2011, Carlos Castro num quarto do hotel Intercontinental, em Nova Iorque, disse em tribunal que o manequim "é um homem bastante doentio".
17 de Outubro de 2012 às 09:02
julgamento, homicídio, carlos castro, renato seabra, doentio, Tirelli, nova iorque
julgamento, homicídio, carlos castro, renato seabra, doentio, Tirelli, nova iorque

O advogado de Seabra, David Touger, mostrou-se sempre bastante irritado com Tirelli, principalmente pelo facto do polícia não ter questionado Seabra pelas razões que o levaram à mutilação. "Você só queria a sua confissão. Estava preocupado principalmente com o que ele fez, não por que motivo o fez". Às acusações, Tirelli respondeu. "Para começar, acho que é um homem bastante doentio. Mas acho que foi honesto" na confissão.

Tirelli disse ainda que acredita que Seabra quis confessar por se "sentir mal" com o crime, causado por "uma qualquer discussão entre amantes", motivando o protesto do advogado, que considerou a interpretação descabida.

Na quarta feira, o tribunal irá ouvir outro dos três detetives que extraiu a confissão de Seabra, o luso-descendente Michael de Almeida, que serviu também de intérprete.

julgamento homicídio carlos castro renato seabra doentio Tirelli nova iorque
Ver comentários