Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

RENDAS MAIS CARAS

Os moradores dos bairros sociais de Loures estão indignados com os aumentos "exorbitantes" das suas rendas, mas a autarquia garante que está a rever todos os processos e que os valores serão proporcionais ao rendimento familiar.
23 de Março de 2003 às 00:45
A Câmara de Loures garante que só está a cumprir a lei
A Câmara de Loures garante que só está a cumprir a lei FOTO: Direitos Reservados
"Houve aumentos para números exorbitantes. Eu, por exemplo, pagava três euros e agora dizem que tenho de pagar mais de 300", disse Euletério Conde, morador na Quinta da Apelação.

Na mesma situação, segundo Euletério Conde, estão muitos outros moradores dos bairros construídos no âmbito do Programa Especial de Realojamento (PER).

"Aumentaram as rendas a praticamente toda a gente", frisou Euletério Conde, relembrando o caso de uma senhora que vive com três netos e recebe uma pensão de 170 euros: "Agora querem que ela pague uma renda de 270 euros", disse.

Contactado pela Agência Lusa, o vereador responsável pelo pelouro da Habitação na Câmara Municipal de Loures, Dantas Ferreira (CDU), garantiu que "ninguém paga mais se não recebe mais. Só paga mais quem actualmente tem rendimentos mais elevados do que os inicialmente declarados", disse, alertando para a complexidade do processo que está a ser desenvolvido.

Frisando que os protestos dos moradores não têm razão de ser, Dantas Ferreira explicou que o município apenas está a cumprir o disposto no decreto-lei 166/93, segundo o qual as rendas têm de ser actualizadas anualmente, estando o valor a aplicar dependente dos rendimentos de cada família. ´

Um processo que, até agora, a Câmara de Loures não estava a cumprir de forma sistemática: "a actualização era feita à medida que se mexia nos processos e não de uma forma sistemática", reconheceu o vereador.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)