Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

RESFRIADO DE POLÍCIA TRAMA ASSALTANTE

Um polícia entrou numa farmácia do Casal de S. Brás, Amadora, anteontem à tarde, para comprar medicamentos por se encontrar constipado e saiu de lá atrás de um ladrão, ao ser surpreendido por um assalto à mão armada de que resultaram ferimentos no director técnico.
13 de Fevereiro de 2003 às 00:00
O agente, fora de serviço, foi consultado no Hospital Fernando Fonseca e o médico receitou-lhe um conjunto de medicamentos, que tentou aviar na mencionada farmácia do Casal S. Brás, freguesia onde também fica sediada a Esquadra de Investigação Criminal da PSP da Amadora, a que o polícia pertence e que tentava apanhar aquele ladrão.

Isto porque o indivíduo, um cadastrado de 38 anos sem morada certa, foi responsável, num mês, pelo roubo armado de pelo menos dois carros, outra farmácia e uma papelaria, no distrito de Lisboa, e ficou filmado nesses dois estabelecimentos, embora encapuzado.
Quando o agente entrou na Farmácia Carlos, na Rua Sebastião da Gama, pelas 18h30 de anteontem, certamente não ia disposto a entrar em acção, mas o que viu obrigou-o a esquecer-se que estava fragilizado: de trás do balcão saltava o encapuzado, com notas numa mão e uma faca ensanguentada na outra. A um canto, o director técnico fora golpeado no lado esquerdo do tórax, supostamente ao tentar impedir que a caixa registadora ficasse esvaziada do produto de um dia de trabalho.

O ladrão, com apenas 45 euros na sua posse, correu para a rua, a brandir a faca, e dirigiu-se a uma carrinha VW Polo, que roubara a uma mulher, no dia anterior, em Carnaxide, Oeiras, ignorando o polícia, mesmo quando este sacou da pistola e gritou para parar. “O tipo respondeu calmamente: ‘Para que é isso? Já sei que tu não disparas...’, e foi entrando no carro”, adiantou fonte policial ao CM.

Mas o agente disparou mesmo, primeiro para o ar, numa tentativa falhada de persuadir o assaltante a não avançar mais, e depois para os dois pneus do lado direito, o que impediu o veículo de iniciar a marcha. Com a ajuda de um polícia que chamou ao local, conseguiu finalmente consumar a detenção.

O assaltante, saído da prisão há oito meses após cumprir pena de sete anos, é suspeito de, em 18 de Janeiro, roubar outro carro, em Carcavelos, a duas mulheres, e de o usar em assaltos nos dois dias seguintes, a uma papelaria em Massamá, Sintra, e a uma farmácia na Serra da Mira, Amadora, invasões que foram filmadas.

O indivíduo só terá voltado aos assaltos 20 dias depois, talvez por se aperceber de que o cerco policial apertara. O crime seguinte que a PSP lhe atribui é o roubo de uma viatura a uma mulher, em Carnaxide, Oeiras, na passada segunda-feira, uma carrinha Polo que utilizou no assalto ocorrido anteontem.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)