Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Retiram imagens para evitar furtos

Devido à recente vaga de furtos nos cemitérios, várias famílias estão a guardar em casa as imagens religiosas das campas. Depois do último ataque dos ladrões, há cerca de três semanas, o responsável do cemitério de Avanca, Estarreja, tem aconselhado os proprietários de algumas campas, com imagens mais valiosas, a guardar as mesmas em casa para não serem furtadas.

23 de Dezembro de 2011 às 01:00
Famílias têm guardado as imagens de bronze e cobre em casa para não serem roubadas
Famílias têm guardado as imagens de bronze e cobre em casa para não serem roubadas FOTO: Francisco Manuel

"Roubar uma imagem de uma campa é como profanar a sepultura. As famílias ficam chocadas e, por isso, o melhor é guardá-las em casa até que os ladrões sejam apanhados", confessou ontem ao CM Maria Silva, moradora de Avanca.

Segundo alguns populares, este não será o único local onde isto acontece. O CM apurou que, em particular, em Estarreja e Pardilhó, onde os assaltos têm sido constantes, muitas pessoas também já começaram a guardar as imagens mais valiosas, deixando apenas as que já não interessarão aos ladrões.

Os ataques aos cemitérios – assim como aos bustos e estátuas – têm por alvo o bronze e o cobre e têm sido bastante frequentes no distrito de Aveiro. Contudo, o facto de a GNR ter destacado militares à paisana para vigiarem os bustos terá levado os ladrões a optarem pelos ataques aos cemitérios.

Aliás, as próprias autoridades, ao que o Correio da Manhã conseguiu apurar, não excluem a hipótese de se tratar do mesmo grupo que, desde o último Verão, já furtou várias dezenas de bustos e estátuas em todo o distrito de Aveiro.

ESTARREJA FURTOS ROUBOS
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)