Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Risco de explosão nuclear no Tejo

As águas portuguesas estiveram em risco de um desastre nuclear, depois de um submarino britânico, o HMS Turbulent, ter navegado, com uma avaria grave, na costa e ter atracado em Lisboa durante o ano passado, apurou o CM. Tudo porque a embarcação tinha um problema que o próprio Ministério da Defesa de Sua Majestade classificou, num documento confidencial a que o jornal britânico ‘The Guardian’ teve acesso, de "extremamente grave".
4 de Maio de 2010 às 00:30
Submarino britânico HMS Turbulent percorreu a costa portuguesa e atracou em Lisboa, em 2009
Submarino britânico HMS Turbulent percorreu a costa portuguesa e atracou em Lisboa, em 2009 FOTO: direitos reservados

O submarino nuclear navegou durante dois anos com a avaria, que só foi detectada no mês passado, o que podia ter levado o submarino britânico a provocar, no pior dos cenários, uma fuga radioactiva. Segundo o documento, as válvulas de segurança do Turbulent – assim como as de outro submarino, o Tireless – não estavam a funcionar de forma correcta, o que não permitiria reduzir a pressão dos geradores em caso de emergência. Tal podia levar a uma explosão na embarcação e consequente fuga de radioactividade.

Um responsável governamental disse ao jornal britânico que as avarias foram detectadas numa manutenção de rotina e que foi aberto um inquérito para apurar as causas e, eventualmente, as responsabilidades. Além de Lisboa, o Turbulent atracou, ainda no período da avaria, nos portos de Bergen, na Noruega, e numa base naval de Glasgow.

Ver comentários