Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

“Risco de haver nova explosão”

A casa onde quarta-feira se registou uma explosão de foguetes, causando a morte ao casal que a habitava, em Golpe, Coimbra, foi ontem alvo de uma delicada operação de remoção de material pirotécnico intacto. "Foram retirados explosivos, que uma brigada da GNR desactivou. A máquina ia retirando os escombros que foram verificados por especialistas. Uma operação demorada, porque poderia provocar uma nova explosão", explicou ao CM Hélio Paulino, presidente da Junta de São Paulo de Frades.
7 de Outubro de 2011 às 01:00
Manuel e Preciosa Amado ficaram soterrados com a explosão. Funeral do casal realiza-se hoje às 10h00
Manuel e Preciosa Amado ficaram soterrados com a explosão. Funeral do casal realiza-se hoje às 10h00 FOTO: Gonçalo Silva

"O que resta do edifício, para já, não corre o risco de ruir", adiantou o autarca, que ao longo do dia acompanhou os trabalhos de remoção dos escombros, com a ajuda de uma retroescavadora. Uma operação demorada e delicada, como referiu o autarca.

A explosão aconteceu quando Manuel Amado, de 54 anos, operava uma rebarbadora numa adega onde guardava material pirotécnico. Uma faísca saída da máquina provocou duas fortes explosões, que rebentaram as paredes e o piso superior da casa. A mulher, Preciosa Amado, de 57, estava na cozinha quando o piso cedeu. O casal ficou soterrado e o seu funeral realiza-se hoje, às 10h00.

A investigação está entregue à Polícia Judiciária, que tem recolhido indícios na habitação.

EXPLOSÃO COIMBRA CASAL MORTES JUDICIÁRIA
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)