Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

Roubado e agredido na serra de Monchique

Um homem de 48 anos que reside na Aldeia do Peso, na serra de Monchique, ficou sem os 250 euros que recebera por ter vendido um porco: foi roubado com recurso à violência, na casa onde reside, vizinha à de um irmão.
16 de Fevereiro de 2007 às 00:00
Fernando foi ao hospital
Fernando foi ao hospital FOTO: José Carlos Campos
O incidente ocorreu há algumas semanas, mas os vizinhos estão preocupados e os dois irmãos andam alarmados, embora não tenham apresentado queixa na GNR. “Não me ocorreu ir à Guarda. Estava todo dorido e preocupei-me primeiro com o meu estado de saúde”, diz Fernando Francisco.
Assistido no Centro de Saúde de Monchique, o homem necessitou ainda de tratamento complementar (radiologia) no Hospital do Barlavento, em Portimão. “Agarraram-me por trás, prenderam-me as mãos e disseram-me: ‘Não te mexas ou mato-te!’ Senti uma mão na cara, não sei se tinha algum produto que me deixou adormecido, mas a verdade é que fiquei sem reacção. Não cheguei a ver quem era. Maltrataram-me e deixaram-me fechado na minha própria casa, cheio de dores em todo o corpo, sem saber o que fazer. O meu irmão, que estava fora, é que me libertou quando chegou”, conta Fernando Francisco.
No dia em que recebeu a segunda parcela do acordado para a engorda do porco, com um comerciante local, Carlos Varela, Fernando Francisco esteve numa taberna local e, admite, “possivelmente alguém terá visto que possuía algum dinheiro e foi atrás de mim.”
Os dois irmãos residem ao lado um do outro, sós, e não escondem “algum medo”, que se estende aos vizinhos, pois a zona é marcada por povoamento disperso, pela encosta da serra e os moradores, na maioria, são idosos indefesos.
O dinheiro “fazia-me falta para as necessidades diárias” e a Fernando tem valido a ajuda do irmão.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)