Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

“Roubaram-me a vida”

Há muito tempo que esperava este momento. Não vejo a hora de chegar a Portugal e começar uma vida nova". Foi num tom emocionado que o português Nicolas Bento, de 30 anos, comentou ontem ao CM o final do processo em que era acusado em Inglaterra de ter morto a namorada polaca.
10 de Julho de 2009 às 00:30
Nicolas Bento já só pensa em regressar a Portugal e “começar uma vida nova”. Esteve preso dois anos, quatro meses e 25 dias.
Nicolas Bento já só pensa em regressar a Portugal e “começar uma vida nova”. Esteve preso dois anos, quatro meses e 25 dias. FOTO: Arquivo CM

Condenado em 2007 a uma pena de prisão perpétua pela morte de Kamila Gartskza, viu ontem o Ministério Público inglês desistir da acusação. Em Março, o Supremo Tribunal de Londres anulou a sentença de prisão perpétua e ordenou um novo julgamento, que deveria começar no próximo dia 20 de Julho. No entanto, a acusação considerou não ter provas suficientes para levar o caso a tribunal e comunicou ao advogado inglês de Nicolas Bento que vai desistir.

"Estive preso injustamente durante dois anos, quatro meses e 25 dias. Roubaram-me a vida e estou revoltado", lamenta Nico, que está ainda a ponderar pedir uma indemnização à Justiça inglesa.

A prova principal contra Nico era a imagem de uma câmara de rua que supostamente mostrava Kamila – que apareceu morta num lago de Luton em 2006 – a caminhar com um saco, depois encontrado na casa do português.

A polícia e o Tribunal de Luton acreditaram que a imagem do saco implicava Nico na morte, mas a defesa conseguiu demonstrar, já depois da primeira condenação, que o vídeo não mostrava o saco.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)