Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

Rui Lucas morreu às mãos dos terroristas no Sri Lanka. Português de 31 anos estava em lua de mel

Igrejas e hotéis de luxo foram alvo de oito explosões que mataram pelo menos 290 pessoas.
22 de Abril de 2019 às 11:27
Casal deu o nó no sábado passado e partiu em lua de mel para a ilha
Rui Lucas era natural de Viseu e morreu aos 31 anos
Viagem a Vila Franca do Campo, nos Açores, foi registada por Rui
Corpos de várias pessoas foram retirados da igreja de São Sebastião, em Negombo
Corpo de uma das vítimas mortais a ser transportado para o exterior de uma igreja
Forças de segurança reforçaram o patrulhamento
Vigilância no exterior de uma igreja
Presidente da República repudiou os ataques no Sri Lanka
Atentados contra igrejas no  Sri Lanka fizeram centenas de mortos e feridos
Casal deu o nó no sábado passado e partiu em lua de mel para a ilha
Rui Lucas era natural de Viseu e morreu aos 31 anos
Viagem a Vila Franca do Campo, nos Açores, foi registada por Rui
Corpos de várias pessoas foram retirados da igreja de São Sebastião, em Negombo
Corpo de uma das vítimas mortais a ser transportado para o exterior de uma igreja
Forças de segurança reforçaram o patrulhamento
Vigilância no exterior de uma igreja
Presidente da República repudiou os ataques no Sri Lanka
Atentados contra igrejas no  Sri Lanka fizeram centenas de mortos e feridos
Casal deu o nó no sábado passado e partiu em lua de mel para a ilha
Rui Lucas era natural de Viseu e morreu aos 31 anos
Viagem a Vila Franca do Campo, nos Açores, foi registada por Rui
Corpos de várias pessoas foram retirados da igreja de São Sebastião, em Negombo
Corpo de uma das vítimas mortais a ser transportado para o exterior de uma igreja
Forças de segurança reforçaram o patrulhamento
Vigilância no exterior de uma igreja
Presidente da República repudiou os ataques no Sri Lanka
Atentados contra igrejas no  Sri Lanka fizeram centenas de mortos e feridos
Rui Lucas casou no sábado, 13 de abril, em Viseu, de onde era natural, estava em lua de mel com a mulher no Sri Lanka quando uma das investidas terroristas do passado domingo o matou.

O engenheiro eletrotécnico de 31 anos é uma das 290 vítimas mortais registadas este domingo - Domingo de Páscoa - no brutal ataque terrorista que culminou com oito explosões em igrejas e hotéis de luxo no Sri Lanka. No sangrento ataque, mais de 500 pessoas ficaram feridas. 

A mulher, Sílvia Ramos, sobreviveu aos atentados, que ainda não foram reivindicados, mas que tudo aponta para que tenham sido levados a cabo por radicais islâmicos. O casal estava alojado no hotel Kingsbury, em Colombo, capital do Sri Lanka.

"Estamos em choque com a morte, mas sabemos pouco de como tudo aconteceu", explicou ao CM o irmão, Hugo Lucas.
Terror mata Rui Lucas, português de 31 anos em lua de mel no Sri Lanka


"Falámos com a Sílvia que desejava regressar este domingo a Portugal, mas o aeroporto foi encerrado por questões de segurança e por isso não há data prevista para o regresso", complementou.

A trasladação do corpo não tem para já data prevista. Certo é que os custos a ela associados vão ser garantidos pelo Estado português.

Para já, 24 pessoas foram detidas por estarem ligadas a este ataque terrorista que, para além de cristãos, hóspedes e turistas estrangeiros, matou também três polícias durante uma operação realizada numa casa, em Colombo, umas horas depois das explosões.

O Governo do Sri Lanka decretou estado de emergência no país, e a polícia impôs o recolher obrigatório. Este foi o mais mortífero ataque no país desde a guerra civil no Sri Lanka, que terminou em 2009.

Recorde-se que esta segunda-feira, uma nova explosão ocorreu junto à Igreja de Santo António, no Sri Lanka.

Marcelo transmitiu "calor" e apoio à viúva portuguesa
Marcelo Rebelo de Sousa falou este domingo, ao telefone, com a viúva de Rui Lucas. "Quis transmitir-lhe, à distância, o calor de todos os portugueses perante uma situação triplamente dolorosa. Pela morte do marido; pelo dia em que ocorreu, que devia ser de paz e de vida; e pelo momento que viviam [lua de mel]", disse o Presidente.

PORMENORES
Ataques a muçulmanos
Numa aparente retaliação pelos ataques a igrejas, uma mesquita foi atacada em Puttalam e foram também atacadas duas lojas de muçulmanos em Kalutara.

Polícias mortos em buscas
Três polícias foram mortos na tarde deste domingo durante buscas numa casa horas após os atentados. A oitava explosão noticiada terá sido nessa casa.

Vítimas estrangeiras
Além do português, foi confirmada a morte de cinco britânicos, três dinamarqueses, três indianos e dois turcos. Há ainda chineses e holandeses entre os mortos nos atentados.

Ataque em Batticaloa
Um ataque a uma igreja de Batticaloa, no leste do Sri Lanka, terá matado este domingo pelo menos 25 pessoas, referiram meios de comunicação do país.

Turistas visados
Os hotéis atacados foram o Shangri-La, o Kingsbury, o Cinamon Grand e o Tropical Inn. Não havia este domingo confirmação oficial de vítimas nos hotéis.

Governo tem ‘lista negra’ de países não recomendados
O Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) repudiou os ataques. "O Governo português lamenta profundamente a morte do cidadão português que se encontra entre as vítimas dos atentados (...) e expressa as condolências à família".

Logo após os ataques, o MNE, através do seu site, desaconselhou "todas as viagens ao Sri Lança até publicação de novo aviso". O Governo junta assim este país asiático a uma ‘lista negra’ de destinos, onde se inserem outros países marcados pela guerra, por atentados terroristas e instabilidade política.

Afeganistão, República Centro Africana, Iraque, Iémen, Líbia, Somália, Sudão do Sul, Síria e Paquistão são alguns dos países para os quais o MNE desaconselha qualquer viagem, seja em turismo ou mesmo em trabalho.

Existem outros destinos onde o Governo pede cautelas nas visitas, casos de Irão, Líbano, Mali, Haiti, Tunísia e Argélia, entre outros. Se quiser saber se o seu destino tem alguma recomendação por parte do Governo, aceda ao site: www.portaldascomunidades.mne.pt

Estatísticas
No ano passado, ocorreram 86 incidentes verificados de discriminação, ameaças e violência contra cristãos, segundo a Aliança Evangélica Cristã Nacional do Sri Lanka (NCEASL), que representa mais de 200 igrejas e outras organizações cristãs.

Este ano, o NCEASL registou 26 desses incidentes, incluindo um em que monges budistas tentaram interromper um culto de domingo, com o último relatado a 25 de março. Fora da população total do Sri Lanka, de cerca de 22 milhões, 70% são budistas, 12,6% hindus, 9,7% muçulmanos e 7,6% cristãos, de acordo com o censo de 2012 do país.

Num relatório de 2018 sobre os direitos humanos do Sri Lanka, o Departamento de Estado dos EUA verificou que alguns grupos cristãos e igrejas relataram ter sido pressionados a acabar com as atividades de adoração depois de as autoridades classificaram-nas como "reuniões não autorizadas".

O relatório referiu também que os monges budistas tentam regularmente fechar os locais de culto cristão e muçulmano.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)