Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Rui Pedro: Houve "desleixo e negligência" na investigação

O advogado da família de Rui Pedro, criança de Lousada que desapareceu no dia 4 de Março de 1998, disse esta quinta-feira em tribunal que nos primeiros dias de investigação ao caso houve "desleixo e negligência".
26 de Maio de 2011 às 16:09
Ricardo Sá Fernandes agradeceu, em nome da família de Rui Pedro, à investigação por "nunca ter desistido"
Ricardo Sá Fernandes agradeceu, em nome da família de Rui Pedro, à investigação por 'nunca ter desistido' FOTO: João Miguel Rodrigues

"É lamentável a enorme inércia no momento essencial deste caso", acrescentou Ricardo Sá Fernandes.

O jurista falava esta quinta-feira no Tribunal de Lousada durante o debate instrutório do processo em que um homem de 35 anos está acusado de um crime de rapto do menor então com 11 anos.

O jurista sustentou que as 24 horas após o desaparecimento da criança "eram decisivas e explicariam tudo o que aconteceu".

Ricardo Sá Fernandes criticou o facto de a investigação não ter ouvido, no dia imediato ao desaparecimento, uma prostituta que alegava ter estado com Rui Pedro.

Essa mulher só acabou por ser ouvida, 10 anos depois, na fase de inquérito do processo que corre na comarca de Lousada e que esta quinta-feirateve o seu debate instrutório.

O advogado da família do menor desaparecido admitiu, no entanto, que nos primeiros dias após o desaparecimento, a prioridade da investigação era encontrar a criança.

Ricardo Sá Fernandes agradeceu, em nome da família de Rui Pedro, à investigação por "nunca ter desistido".

Apesar da acusação ter demorado cerca de 13 anos, o jurista da família concluiu que "o Ministério Público fez aquilo que tinha de fazer".

rui pedro justiça ricardo sá fernandes advogado tribunal
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)