Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

SALÁRIO SALDADO A TIRO

Três tiros de pistola. Os gritos enchem a pacata Rua dos Telefones. Um homem de cerca de 50 anos, já ferido à pancada, acaba de alvejar outro, de pouco mais de 20 anos, no pescoço. É o último acto de uma tentativa de cobrança de um salário em atraso. Ontem ao fim da manhã, na Charneca da Caparica, Almada.
1 de Agosto de 2004 às 00:00
As marcas de sangue no chão testemunham a violência  havida
As marcas de sangue no chão testemunham a violência havida FOTO: Jorge Godinho
Tudo começara pelas 10h00, quando Anabela, de 19 anos, moradora na Trafaria, dirigiu-se acompanhada da mãe, a um lar de Terceira Idade, a funcionar, ao que tudo indica, clandestinamente no rés-do-chão de uma vivenda no número 14 da Rua dos Telefones.
O seu objectivo era cobrar o salário que o dono da residência lhe estava a dever. A resposta não tardou: agressões às duas mulheres, nomeadamente por parte de quatro capangas africanos que estavam na casa.
Pouco depois, as mulheres, muito maltratadas, são detectadas por uma patrulha da GNR, que circulava na estrada, a menos de uma centena de metros do local onde foram agredidas e providenciou o seu transporte para o Hospital Garcia de Orta.
Segundo vários testemunhos, as mulheres, no hospital, uma vez que tinham ficado sem os telemóveis, telefonaram aos familiares, a relatar o sucedido.
Pouco tempo depois, frente ao lar chegou o irmão de Anabela, com quatro amigos, a que se lhes juntou o pai dos dois irmãos, Franklin Palau. O grupo ia munido de uma marreta e um pé de cabra exigir reparação ao dono do lar.
Ao que parece, a porta foi arrombada à marretada e o grupo envolveu-se à pancada com o dono do lar e a esposa. Os capangas africanos tinham-se retirado após a partida das mulheres.
No meio da várias agressões, o dono do lar sacou de uma pistola ilegal 7,65 e efectuou três disparos para o grupo, atingindo o irmão de Anabela no pescoço. Franklin acabou por desarmar o homem.
Da refrega, que envolveu um total de 14 pessoas, resultaram oito feridos, seis dos quais ficaram internados no Hospital Garcia de Orta.
O dono do lar depois de receber tratamento aos seus ferimentos, foi transportado para o quartel da GNR de Almada, onde chegou pelas 16h30, ficando detido e aguarda ser amanhã às 9h00 presente ao juiz do tribunal daquela cidade. A Polícia Judiciária iniciou as investigações. De acordo com declarações dos vizinhos, o último idoso residente no lar, que não se viu envolvido na rixa, foi transferido ainda ontem de manhã para um hospital.
CRIMES DE TENTATIVA DE HOMICÍDIO E ARMA ILEGAL
O dono do lar vai ser indiciado pelos crimes de tentativa de homicídio e porte e uso de arma ilegal. Bem como, juntamente com a sua esposa e mais quatro indivídios, por crime de agressões físicas a Anabela e a mãe. A isso pode acrescer um inquérito ao lar de idosos que explorava naquele local há cerca de um ano.
Por outro lado, sobre os familiares de Anabela e dos amigos do irmão desta, um dos quais com 17 anos, podem ser formuladas as acusações de agressão com arma branca e, eventualmente, arrombamento de residência.
Além do expediente da GNR, a PSP também fez um auto, uma vez que alguns dos feridos, chegados ao hospital, transportados pelos bombeiros, voltaram a envolver-se em confrontos. Um conjunto de acusações que serão apuradas ao longo da investigação que a Polícia Judiciária leva agora a cabo, a mando do Ministério Público do Tribunal de Almada.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)