Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Salto mortal em grade

PJ e MP descartam crime em cemitério da Amora.
Miguel Curado 23 de Outubro de 2016 às 10:22
Homem de 22 anos saltou nu de um muro sem reparar no gradeamento em baixo
Homem de 22 anos saltou nu de um muro sem reparar no gradeamento em baixo FOTO: CMTV
O Ministério Público e a Polícia Judiciária de Setúbal concordaram que a queda que matou um jovem de 22 anos na madrugada de quinta-feira, no cemitério da Amora, no Seixal, terá sido um acidente. A vítima ficou espetada numa grade de metal, após ter saltado de um muro.

O homem que faleceu entrou no cemitério da Amora ao final da noite de quarta-feira, integrado num grupo de amigos que escalaram um muro das traseiras. Tal como o CM noticiou este sábado, uma sepultura e vários ossários foram encontrados remexidos, com vestígios de sangue e cabelo em várias partes do cemitério, o que leva a PSP a acreditar num ritual ‘vudu’.

Alguma coisa assustou o grupo, que fugiu desordenadamente. O jovem de 22 anos escalou todo nu um muro do cemitério, sem que ninguém estivesse por perto. O facto de ter caído em cima de uma grade de metal, espetando o corpo na mesma, não terá acontecido por interferência de ninguém. O jovem, recorde-se, veio a falecer dentro da ambulância, após enorme perda de sangue. A PSP, entretanto, está a investigar as sete denúncias de furtos de ossadas no cemitério.
Ministério Público Polícia Judiciária de Setúbal Amora Seixal PSP morte polícia
Ver comentários