Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Sanidade avaliada

O Ministério Público (MP) de Leiria quer tirar as dúvidas sobre a sanidade mental do jovem que matou o irmão de 11 anos à facada, por ciúmes, e pediu ontem que lhe seja feito um exame psiquiátrico.
12 de Fevereiro de 2008 às 00:30
Na sequência dos depoimentos prestados por algumas testemunhas da Defesa – à porta fechada –, o procurador da República requereu a realização da perícia médica e os advogados que representam o arguido não se opuseram.
O objectivo do exame é apurar se Vasco Carreira, de 18 anos, “é imputável, inimputável ou tem a imputabilidade diminuída”, justificou o magistrado do MP.
Na avaliação psicológica efectuada na fase de instrução do processo, os médicos concluíram que o jovem manifesta “sinais de excesso e possível dependência do videojogos”. O que pode estar na origem do seu “comportamento impulsivo, de tipo violento, irresponsável e despido de expressão afectiva”.
Como indicações, aconselharam o tratamento do arguido, “a nível dos traços de perturbação de personalidade”.
Vasco Carreira será agora submetido a novas perícias psiquiátricas, no Instituto Nacional de Medicina Legal (INML), para se apurar se estava capaz de avaliar a gravidade dos seus actos à data do crime e pode ou não ser responsabilizado pela Justiça. O pedido do MP levou à suspensão do julgamento, que será retomado a 11 de Março.
O jovem matou o irmão com 15 facadas, em Julho de 2007, depois de o ter atraído para um pinhal em Caranguejeira, Leiria.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)