Santa Casa chamada para esclarecer prémio de euromilionária

Funcionária depõe para esclarecer quem, no casal desavindo, ganhou os 51 milhões.
Por Ana Isabel Fonseca|12.01.19

A funcionária do departamento de Jogos da Santa Casa que recebeu Amélia de Jesus e o ex-marido, no Porto, no dia em que o prémio foi reclamado, será testemunha no processo em que a euromilionária do Marco de Canaveses exige 13 milhões de euros e um prédio a Abílio Ribeiro. Caberá à funcionária dizer quem ganhou os 51 milhões. A Santa Casa já informou, no processo, que o prémio foi reclamado em nome de Abílio, mas Amélia diz que se tratou de um erro e que foi ela quem registou a recompensa.

Na ação, que decorre na Póvoa de Varzim, a euromilionária explica que, erradamente, Abílio deu os seus dados ao telefone e que foi já na Santa Casa que ela descobriu o alegado engano. Já diante da funcionária, Amélia diz que se recusou a retirar o talão vencedor do sutiã quando percebeu que a ordem de pagamento estava em nome do então companheiro. Garante que só aceitou que assim continuasse porque esta responsável lhe disse que poderia ser aberto um processo de averiguações.

A funcionária terá agora que explicar se Amélia se intitulou logo como vencedora ou se este episódio nunca ocorreu - como alega Abílio.

Entretanto, o processo revela que o casal, apesar de apenas ter feito uma festa em junho de 2013, tinha já casado a 22 de março desse ano, apenas um dia após terem recebido o dinheiro na conta. Amélia diz que o fez para fugir a um imposto. Abílio alega que foi pressionado pela euromilionária, que já planeava extorquir-lhe a fortuna.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!