Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Santana Lopes poderá ter traumatismo torácico e Paulo Sande um traumatismo craniano

Presidente do Aliança e candidato do mesmo partido estão a ser examinados.
15 de Maio de 2019 às 20:44
Carro onde seguiam Santana Lopes e Paulo Sande
Helicóptero do INEM
Veja como ficou o carro que Santana Lopes conduzia após acidente na A1
Veja como ficou o carro que Santana Lopes conduzia após acidente na A1
Veja como ficou o carro que Santana Lopes conduzia após acidente na A1
Carro onde seguiam Santana Lopes e Paulo Sande
Helicóptero do INEM
Veja como ficou o carro que Santana Lopes conduzia após acidente na A1
Veja como ficou o carro que Santana Lopes conduzia após acidente na A1
Veja como ficou o carro que Santana Lopes conduzia após acidente na A1
Carro onde seguiam Santana Lopes e Paulo Sande
Helicóptero do INEM
Veja como ficou o carro que Santana Lopes conduzia após acidente na A1
Veja como ficou o carro que Santana Lopes conduzia após acidente na A1
Veja como ficou o carro que Santana Lopes conduzia após acidente na A1
O presidente da Aliança, Pedro Santana Lopes, poderá ter sofrido um traumatismo torácico e o candidato às europeias, Paulo Sande, um traumatismo craniano, segundo os médicos do INEM que esta quarta-feira os assistiram no local do acidente rodoviário.

Fonte do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) adiantou à agência Lusa que os dois políticos foram transportados para os Hospitais da Universidade de Coimbra (HUC) para serem examinados, porque o INEM no local não dispõe de meios complementares de diagnóstico.

Só depois dos exames se poderão confirmar as suspeitas da equipa médica no local do acidente, na A1, sentido Coimbra-Lisboa, de um eventual traumatismo torácico em Pedro Santana Lopes e um traumatismo craniano de lista do partido às eleições europeias, Paulo Sande.

Segundo a fonte, Santana Lopes foi transportado de helicóptero para os HUC e Paulo Sande seguiu de ambulância acompanhado por uma equipa médica do Hospital dos Covões.

Questionada sobre o motivo da deslocação de um helicóptero para o acidente, a fonte do INEM disse tratar-se de "uma situação normalíssima e habitual", já que o Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) recebeu um alerta para um "acidente grave, com capotamento, e dois feridos encarcerados".

A mesma fonte disse que foi acionado de imediato o 'heli' de Santa Comba Dão, uma viatura médica de emergência e reanimação do Hospital dos Covões e duas ambulâncias dos bombeiros voluntários de Pombal e de Soure.

De acordo com a fonte do INEM, após o desencarceramento e primeira análise às vítimas, a equipa médica no local (que chega normalmente antes do meio de transporte aéreo) decidiu manter a assistência do helicóptero.

A agência Lusa conseguiu falar telefonicamente com Paulo Sande, antes de este ser transportado para o hospital, que relatou que Santana Lopes iria seguir de helicóptero e que lhe tinha sido colocado um colar cervical por se queixar de "dores no peito" e ter ligeiros ferimentos na cabeça.

A fonte do INEM disse à Lusa que os dois feridos estavam "estáveis e conscientes".

Paulo Sande explicou ainda que regressava com Santana Lopes de uma iniciativa de campanha em Coimbra e que o líder do partido guiava o carro quando se despistaram e a viatura capotou "várias vezes".

O acidente ocorreu pouco antes das 17:30 e a A1 esteve cortada ao trânsito nos dois sentidos entre as 18:30 e as 19:27 para o helicóptero
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)