Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

Santo Ildefonso mantém tradição

Manjerico, alho-porro e os balões. São os artefactos mais famosos do S. João e é neles que a rusga de Santo Ildefonso aposta forte. Com algumas dificuldades, a freguesia do centro da Baixa do Porto tenta dar a melhor imagem. "Não há nenhum participante da rusga que more aqui na freguesia. Só nos encontramos nas actividades festivas, o que mostra que a Baixa está desabitada", disse Teresa Mendes, coordenadora das rusgas.
25 de Junho de 2008 às 00:30
A alegria está presente nos ensaios dos grupos que têm vindo a treinar-se separadamente
A alegria está presente nos ensaios dos grupos que têm vindo a treinar-se separadamente FOTO: DIREITOS RESERVADOS

"A maior parte das pessoas vive nos arredores do Porto ou em outras freguesias, mas conseguimos que os nossos amigos se juntassem à festa", continuou Teresa, dizendo que são 70 os participantes na festa.

Apesar de assumirem a modéstia do desfile, a letra da música que vão entoar no centro do Porto é um convite a todos para que se juntem à rusga de Santo Ildefonso e às festas sanjoaninas. A prova é o refrão da cantiga da freguesia. "Meu rico Santo Ildefonso/Anda comigo ao S. João/ Eu sei qu’ele é teu amigo/ Por isso digo: Vem, dá-me a mão." "Quisemos ir buscar os motivos da festa e apelar à participação", disse Plácido Martins.

Há cerc de um mês e meio que se prepara esta rusga. Um grupo ensaia em Valbom,Gondomar, e pertence ao rancho folclórico local e o outro na Praça da Batalha, Porto, na sede do Orfeão. "No último ensaio vamos juntar os dois grupos", disse Teresa Mendes.

Ver comentários