Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

SEF desmantela rede de tráfico de pessoas e três angolanos são condenados

Tribunal de Lisboa puniu três operacionais do grupo que ‘venderam’ 20 pessoas.
Miguel Curado 5 de Outubro de 2021 às 09:31
Intervenção do SEF levou ao desmantelamento do grupo agora condenado
Intervenção do SEF levou ao desmantelamento do grupo agora condenado FOTO: Direitos Reservados
Uma investigação do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), que levou ao desmantelamento de uma rede de tráfico de cidadãos angolanos, permitiu a condenação, no tribunal de Lisboa, a penas de prisão (duas efetivas e uma suspensa) de três operacionais do grupo.

O primeiro contacto do SEF com a rede deu-se em março de 2020. O angolano António Casal, de 36 anos, um dos arguidos, foi preso no aeroporto de Lisboa quando tentava viajar para Cabo Verde com um menor, seu compatriota. Ambos tinham passaportes falsos, o que levou o SEF a desencadear uma investigação que localizou os também angolanos António Simão, de 32 anos, e Garcia Neto, de 46. Ambos arranjavam, a partir de Portugal, documentação falsa de residentes no espaço Schengen para vender às vítimas de tráfico.

Entre 2018 e 2020, quando o SEF desmantelou a rede, o grupo extorquiu dinheiro a pelo menos 20 angolanos. Por isso, o tribunal condenou António Simão e Garcia Neto a 5 anos e 8 meses e 4 anos e 3 meses de cadeia, com pena efetiva, e António Casal a um ano e 4 meses de prisão, com pena suspensa.

PORMENORES
Cobravam milhares
Segundo o acórdão do trio punido em tribunal, cada uma das vítimas teve de pagar uma quantia média a rondar os 2500 euros.

Prisão preventiva
O coletivo de juízes que julgou os operacionais da rede manteve António Simão e Garcia Neto em prisão preventiva e aguarda trânsito das penas.

Diversos crimes
O tribunal condenou os arguidos culpados de crimes como auxílio à imigração ilegal, e falsificação agravada de documentos.
Ver comentários