Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Segurança Social facilita atendimento

As pessoas vão deixar brevemente de andar de um lado para o outro para tratar de assuntos da área social. É esse o objectivo do ‘Atendimento Integrado’, ontem apresentado no Porto, um método em que, numa só repartição, as pessoas são informadas da forma como podem resolver os seus problemas através de uma intervenção concertada.
28 de Novembro de 2006 às 00:00
Num encontro, organizado pelo Centro Distrital da Segurança Social do Porto, em que participaram cerca de 600 pessoas e representantes das autarquias, das Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) e técnicos da área social do distrito do Porto, o presidente do Instituto de Segurança Social (ISS), Edmundo Martinho, salientou que o evento “serviu para analisar a situação e alargá-la a todo o País, melhorando a relação da Segurança Social, das autarquias e das IPSS com as famílias e os cidadãos”. “O objectivo do ‘Atendimento Integrado’ é potenciar os recursos humanos, descentralizando o atendimento e sendo o ano de 2007 o da explosão nesta matéria”.
A Rede Social funciona em quase todo o País, menos no concelho de Viseu. Famalicão, Matosinhos e Trofa são considerados os concelhos-piloto da rede social, com resultados muito positivos.
“Se as câmaras municipais têm sido parceiros de excelência, as IPSS, devido à sua experiência neste campo, completam essa parceria”, confessou o padre Lino Maia, presidente da Confederação das Instituições de Solidariedade Social.
“Nós já fazemos esse tipo de atendimento às populações. Uma forma de exercer a proximidade, pois só perto das populações poderemos resolver os problemas”, disse Lino Maia.
Em representação do concelho de Matosinhos, onde se iniciou o projecto-piloto do Atendimento Integrado, estiveram o presidente da Câmara, Guilherme Pinto, e a vereadora da Acção Social, Luísa Salgueiro, que confirmou o êxito do projecto e anunciou que, em breve, funcionará em todas as freguesias do concelho.
“Temos tradição de trabalhar em parceria, por exemplo, na luta contra a pobreza. Agora, como já acontece em Matosinhos, as pessoas têm um técnico para lhes resolver os problemas junto de várias instituições, para não perderem tempo”.
SIMPLIFICAR O ATENDIMENTO
O objectivo é alargar o ‘Atendimento Integrado’ a todos os concelhos do País, simplificando os métodos. Uma determinada pessoa – que até agora era obrigada a dirigir-se à autarquia para resolver um problema de habitação, ao Centro de Emprego para procurar trabalho, ao Centro de Saúde para arranjar uma consulta, à Segurança Social para obter comparticipação para medicamentos – passa a ter um único técnico para lhe resolver os problemas, acompanhando-o como um gestor dos seus casos, evitando desta maneira demoras no atendimento e deambulações por diversos serviços.
PARTICULARIDADES
EXPERIÊNCIAS
Durante o seminário, que decorreu na Fundação Cupertino de Miranda, Francisco Jorge, Isabel Veiga e Luísa Salgueiro, responsáveis pelas redes sociais de Vila Nova de Famalicão, Trofa e Matosinhos falaram das metodologias do Atendimento Integrado nos respectivos concelhos, focando os mais diversos aspectos.
ALARGAMENTO
Tudo aponta para que 2007 seja o ano da solidificação do ‘Atendimento Integrado’, a ser negociado pelo Governo com as autarquias e as IPPS. Em quase todo o País funciona a rede social e, apesar de ainda não existir no concelho de Viseu, estão bem encaminhadas as perspectivas para que tal aconteça a curto prazo.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)