Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Segurança vê reduzir a pena por agressão

Vítima ficou em estado vegetativo após estalo à porta de um bar.
Ana Isabel Fonseca 10 de Julho de 2017 às 10:19
Jovem foi agredido à porta deste bar, em Braga. Sofreu lesões graves e está em estado vegetativo
Agressão violenta ocorreu à porta do bar Insólito, no centro da cidade de Braga
Jovem foi agredido à porta deste bar, em Braga. Sofreu lesões graves e está em estado vegetativo
Agressão violenta ocorreu à porta do bar Insólito, no centro da cidade de Braga
Jovem foi agredido à porta deste bar, em Braga. Sofreu lesões graves e está em estado vegetativo
Agressão violenta ocorreu à porta do bar Insólito, no centro da cidade de Braga
Carlos Mesquita deixou um homem em estado vegetativo ao desferir-lhe um violento estalo à porta do Insólito Bar, em Braga, na madrugada de 29 de março de 2015. O segurança, de 45 anos, foi condenado no início deste ano a quatro anos e três meses, com pena suspensa, mas recorreu. Agora, o Tribunal da Relação de Guimarães decidiu reduzir a condenação para três anos, também suspensos. Os magistrados entendem que Carlos Mesquita não equacionou que o resultado da agressão pudesse ser tão grave.

"O arguido, embora não tenha chegado, sequer, a representar a possibilidade de realização de qualquer daqueles graves resultados – com que, por isso, não se conformou –, não procedeu com o cuidado a que, segundo as circunstâncias, estava obrigado", consideram os juízes desembargadores no acórdão, que condena o arguido por um crime de ofensa à integridade física agravado e ainda por exercício ilícito de segurança privada.

O acórdão dá como provado que o segurança iniciou uma discussão com Rui Coutinho, de 39 anos, já no exterior do bar. "Estás a olhar? Continuas a olhar?", gritou o segurança para a vítima, tendo de seguida desferido o violento estalo.
Rui caiu desamparado no chão, tendo sofrido graves lesões.

Desde então, está em estado vegetativo e tem de ser alimentado por uma sonda. Em curso está ainda um processo cível, onde a vítima pede uma indemnização total de 774 mil euros não só ao segurança, como também ao bar onde o caso ocorreu.
Carlos Mesquita Rui Coutinho Insólito Bar Braga Tribunal da Relação de Guimarães polícia segurança
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)