Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Senhorio rapta criança

Menino de 13 anos passou trinta horas trancado no WC de um apartamento, em Oeiras.
26 de Setembro de 2013 às 01:00
Vizinhos da vítima também são inquilinos do raptor e temem ser alvo de retaliações
Vizinhos da vítima também são inquilinos do raptor e temem ser alvo de retaliações FOTO: Pedro Catarino

Raptado a poucos metros de casa, no Seixal, João (nome fictício), de 13 anos, viveu mais de 30 horas de terror. O menino, a quem o agressor torceu um braço para o enfiar dentro do seu carro, foi depois mantido em cativeiro, de sábado até segunda feira, trancado na casa de banho de um apartamento em Carnaxide, Oeiras.

O raptor - primo da mãe e dono da moradia onde a família vive - acabou por libertá-lo na segunda-feira e horas mais tarde foi preso pela Unidade Nacional de Contraterrorismo da PJ. Já está em prisão preventiva. Na origem do conflito está a falta de pagamento, por parte da família do menino, de 3000 euros referentes a cinco meses de rendas de casa ao raptor, João Batista, 41 anos - porque a mãe do menino ficou desempregada e a moradia onde vivem tem duas penhoras.

"Pagas ou nunca mais vais ver o teu filho", foi a ameaça dita ao telefone por João Batista, empresário da construção civil falido, aos pais do menino e que os levou a alertarem a judiciária.

"Foi horrível para os pais, o menino foi raptado quando ia fazer um recado à mãe. O João Batista disse que foi para assustar. As ameaças duram há muito, ele quer tirar-nos de casa para poder enganar outras pessoas. No dia antes do rapto bateu no meu marido", diz a vizinha do lado, cuja moradia também é de João Batista e que está na mesma situação - arrendou a casa ao empresário e só depois percebeu que a mesma tem quatro penhoras. A mulher também não paga a renda desde que descobriu e teme ser a próxima vítima.

criança rapto Seixal WC Oeiras
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)