Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Sentença foi adiada (COM VÍDEO)

Voltou ontem a ser adiada a leitura da sentença do julgamento do pai de Tiago, criança que morreu afogada no lago de uma pedreira, na rua da Gandarinha, em Vila do Conde, há cinco anos. O motivo da decisão foi a existência de factos diferentes entre os que se alegavam e os que foram provados.
15 de Dezembro de 2009 às 00:30
O pai do menino, Manuel Marques Pereira, saiu ontem do tribunal ladeado pelos ex-sogros
O pai do menino, Manuel Marques Pereira, saiu ontem do tribunal ladeado pelos ex-sogros FOTO: José Rebelo

A sentença, que chegou a ser marcada para o passado dia 7 e para ontem, vai ser conhecida esta quinta-feira, dia 17. "Houve uma alteração não substancial de factos", explicou apenas aos jornalistas o advogado de defesa, Santos Costa, sem no entanto especificar quais os factos concretos.

Manuel Marques Pereira está acusado de homicídio por negligência do filho de cinco anos. Na altura do incidente, a 14 de Julho de 2003, Tiago estava na casa dos avós maternos com o pai e o irmão. Enquanto o avô e o pai pintavam a casa, o menino terá dito à avó que ia ver televisão.

Quando deram pela falta de Tiago, já era tarde. Encontraram--no morto no lago de uma pedreira que existia perto da casa. A mãe de Tiago, que se tinha mudado para Braga com o novo namorado, também acusou os próprios pais de negligência, mas foram despronunciados.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)