Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Septuagenário que baleou vizinhos remeteu-se ao silêncio

Desavenças relacionadas com infiltrações de água na origem do crime.
9 de Janeiro de 2015 às 17:30
Arguido responde por três crimes de homicídio qualificado na forma tentada
Arguido responde por três crimes de homicídio qualificado na forma tentada FOTO: Eduardo Martins

O septuagenário acusado de ter alvejado três vizinhos em Braga por causa de desavenças relacionadas com infiltrações de água remeteu-se esta sexta-feira ao silêncio, no início do julgamento, no Tribunal Judicial daquela comarca.


No entanto, o tribunal ouviu as declarações prestadas pelo arguido na fase de instrução do processo, em que afirmou não saber como e por quem foram efetuados os disparos, sublinhando que na altura foi atacado por três vizinhos e por um cão e se gerou uma "enorme confusão".


"Atiraram-se a mim os quatro. No meio da luta toda, não percebi mais nada. Acabaram por sair tiros, não consigo explicação", referiu.


Disse ainda que apenas pegou na arma para se precaver contra um eventual ataque do cão, admitindo que, na pior das hipóteses, poderia eventualmente optar por disparar "um tiro para o ar".


Um dos vizinhos atingidos pelos disparos disse que não ter dúvidas de que o arguido, um engenheiro agrónomo com 76 anos, atirou para matar. 


O arguido responde por três crimes de homicídio qualificado, na forma tentada, e o caso está a ser julgado por um tribunal de júri, constituído por três juízes e quatro jurados.


Os factos remontam a 3 de março de 2014, perto das 23h00, em Nogueira, Braga, e culminaram desavenças e discussões antigas do arguido com os vizinhos, por causa de infiltrações de água no seu apartamento.

septuagenário silêncio tribunal braga
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)