Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Sindicato tem “fundo de greve” para reembolsar trabalhadores

Pelo menos um sindicato português tem um fundo destinado a reembolsar os trabalhadores da perda de remuneração pelo exercício do direito à greve. A prática já é comum noutros países, em Portugal existe no Sindicato Nacional dos Maquinistas dos Caminhos de Ferro Portugueses (SMAQ).
24 de Novembro de 2010 às 11:35
Cerca de 1700 trabalhadores descontam todos os meses um por cento do salário para o fundo de greve
Cerca de 1700 trabalhadores descontam todos os meses um por cento do salário para o fundo de greve FOTO: Lusa

"Temos um fundo de greve destinado a reembolsar os trabalhadores do  desconto a que são sujeitos pela empresa devido ao exercício do direito à greve", explicou à agência Lusa o responsável sindical, António Medeiros.

O mecanismo é descontar todos os meses um por cento do salário dos “cerca de 1700 trabalhadores”, para o fundo de greve, garantindo uma acção “solidária e social”, já que serve para “dar apoio a trabalhadores despedidos que recorram ao tribunal”.

O fundo de greve existe no SMAQ desde 1980 (o sindicato foi fundado  em 1978) e António Medeiros está convencido de que este foi "o primeiro  sindicato português" a criar um fundo de greve.   

O SMAQ representa trabalhadores de cinco empresas: a CP Carga, a CP,  a Metro do Porto, a Metro Sul e a Fertagus.   

SMAQ fundo greve Porto
Ver comentários