Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

'SNIPERS' NOS NAVEGADORES

A GNR de Oeiras receia que militares seus possam ser alvo de agressões a tiro, efectuadas por 'Snipers' (atiradores furtivos), durante acções de patrulhamento no Bairro dos Navegadores, em Porto Salvo, segundo revelou ao CM uma fonte do Destacamento da Guarda em Oeiras, responsável pelo patrulhamento naquele local.
11 de Agosto de 2003 às 00:00
Populares e GNR temem o aparecimento de atiradores furtivos no Bairro dos Navegadores
Populares e GNR temem o aparecimento de atiradores furtivos no Bairro dos Navegadores FOTO: José Barradas
A situação já está mesmo, de acordo com o mesmo informador, a ser investigada. A constatação surgiu em sequência de diversas denúncias recebidas pela GNR, a alertar para um aumento da tensão no bairro. A recente saída da cadeia de diversos traficantes ali residentes, aliada à crescente proliferação de armas de fogo, incrementou o sentimento de vingança para com os militares da GNR. "No bairro, há quem já tenha aproveitado peças de armas, para fazer uma espingarda capaz de disparar projécteis de calibre 12 milímetros contra os militares da GNR. Existem bons atiradores naquele local, e os militares podem vir a ser atingidos em qualquer momento", acrescentou a mesma fonte.
Esta realidade surgiu reforçada aos olhos dos responsáveis da GNR após uma acção de patrulha no bairro, levada a cabo na terça-feira, para identificação de três indivíduos, referenciados por consumo e tráfico de droga, e que culminou com uma agressão à pedrada de um militar do Destacamento.
Foram vários os alertas chegados ao posto de Porto Salvo denunciando acções de vingança para com os militares da GNR. Uma dessas situações falava mesmo, segundo apurou o nosso jornal, de um ataque concertado à próxima patrulha que fosse ao bairro, envolvendo a utilização de pedras e até caçadeiras.
'AS BALAS PERDIDAS EXISTEM'
"Os rapazes não têm emprego, e juntam-se todos aqui no bairro. São eles que se envolvem sempre com a GNR". Cansadas de tanta insegurança, um grupo de moradoras do Bairro dos Navegadores, que preferiu manter o anonimato, reconheceu ao CM que a vida naquela zona de Porto Salvo há muito que é sinónimo de convivência com armas de fogo.
"As balas perdidas existem aqui dentro. Muitas pessoas já têm medo de sair à rua com medo de serem atingidas por disparos vindos ninguém sabe de onde", referiu uma das moradoras ouvidas pelo nosso jornal. Perante este cenário, uma maior presença da GNR é algo que, para muitos moradores do Bairro dos Navegadores, se impõe.
"Mesmo com todos os problemas que existem com eles, sempre nos dão alguma garantia de segurança", acrescentaram as mesmas mulheres.
ATAQUE À GUARDA
CABEÇA EM SANGUE
A desvantagem numérica com que os militares da GNR se viram confrontados na noite de terça-feira, no Bairro dos Navegadores, levou à chamada de reforços. No entanto, ninguém conseguiu evitar a agressão feita, com uma pedra, à cabeça de um cabo do posto da GNR de Trajouce, que perdeu grandes quantidades de sangue.
INFANTARIA
Durante a última semana, o policiamento no Bairro dos Navegadores tem sido reforçado, com militares do Regimento de Infantaria da GNR a serem mobilizados, todas as noites, para auxiliar o efectivo do Destacamento de Oeiras no patrulhamento das ruas de toda aquela zona de Porto Salvo.
APAGÃO NO BAIRRO
O historial de agressões contra a GNR no interior do Bairro dos Navegadores teve, na noite de 3 de Setembro do ano passado, um dos seus maiores episódios. Chamados ao local para travar um grupo de jovens que andava a fazer ‘rali’, os militares foram apedrejados, situação que se acentuou com o corte, propositado, da energia eléctrica.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)