“Só queria saber que está viva”

Carina, de 21 anos, saiu de casa apressada para a festa do clube de caça, no Peso da Régua. Despediu-se da mãe e do pai e disse "até já" à irmã Daniela. Nunca mais foi vista desde então. Amanhã faz um mês que está desaparecida de Lamego. "A cada dia que passa, começamos a temer mais pela vida da Carina. Um mês é muito tempo, os pais estão desesperados. Não sabemos mais o que fazer, este pesadelo parece não ter fim. Só queria ter a certeza de que ela está viva", contou ao CM Manuel Catarino, avô da jovem.
31.05.10
  • partilhe
  • 0
  • +
“Só queria saber que está viva”
Os bombeiros fizeram buscas no rio Douro para encontrar o corpo de Carina Foto direitos reservados

Para Ernesto e Isabel, pais da rapariga, os dias são de sofrimento. O casal tem estado refugiado em casa, na esperança de, a qualquer momento, receber notícias sobre o paradeiro da filha. "Os pais estão a sofrer muito, mal saem à rua. Eles ficam durante todo o dia fechados em casa à espera de receber notícias da filha. É muito doloroso, nós tentamos apoiá-los, mas nada do que dizemos diminui o sofrimento deles", disse um amigo da família.

As pistas sobre o desaparecimento de Carina são escassas, facto que levou, esta semana, a Polícia Judiciária do Porto a criar uma equipa especial de oito inspectores para investigar o caso. Durante vários dias, as autoridades vão debruçar-se sobre o processo e analisar minuciosamente todos os indícios que possam levar a descobrir a rapariga.

"Tem sido difícil, mesmo a polícia tem poucas pistas. Quem levou a minha neta fez tudo na perfeição", disse Manuel Catarino.

No grupo de apoio do Facebook, que conta com quase 34 mil membros, as mensagens de apoio surgem a todo o instante. "Não temos notícias tuas Carina, mas não vamos perder a fé. Sempre que venho aqui, tento trazer uma luz de esperança. Acredito que estás perto de nós e que te vamos encontrar. Adoro-te hoje, amanhã e sempre amiga", escreveu na página Helena Pinto, uma das melhores amigas da jovem.

CRONOLOGIA

1 de Maio

Carina sai da sua casa em Lamego por volta das 22h00.

8 de Maio

PJ começa a investigar o caso.

9 de Maio

Amigos criam grupo de apoio no Facebook.

10 de Maio

Populares lançam boato de que a rapariga fugiu para a Tunísia com um militar. PJ faz buscas aéreas

15 de Maio

Autoridades afastam a hipótese de Carina ter fugido.

18 de Maio

PJ faz buscas no rio Varosa e diz que a jovem pode estar morta.

20 de Maio

Buscas no Douro. Encontram Peugeot, mas não é de Carina.

21 de Maio

Buscas no rio suspensas.

25 de Maio

PJ cria equipa especial e revê todas as pistas sobre o caso.

BEBÉ JÁ SENTE A FALTA DA TIA

Carina é tia de uma bebé de dois anos, filha da sua irmã, Daniela. A jovem era muito apegada à menina e sempre que podia estava com ela. "Ela adorava a sobrinha, tinha uma paixão doida por ela. A Carina passava horas a brincar com ela, nunca se cansava", explica o avô . Segundo Manuel Catarino, também a bebé já deu conta de que algo se passou com a tia e sente muita falta dela. "Ela ainda é pequena, mas é muito inteligente e percebeu que andamos tristes e que algo não está bem. Ela está sempre a perguntar pela tia", disse Manuel.

PISTAS FALSAS E COMENTÁRIOS

Desde o dia em que Carina desapareceu que muito se tem falado sobre o caso. Amigos e familiares desesperam com todas as pistas falsas criadas em torno do caso  e com os comentários negativos que circulam na internet.

"Dizem tanta coisa, todos os dias inventam algo que a viram ali e acolá. A minha neta não fugiu, não tinha nenhum namorado militar como as pessoas inventaram", disse Manuel Catarino. Os pais da jovem decidiram mesmo remeter-se ao silêncio para não prejudicar a investigação.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!