“Só vivo bem comigo por não sentir culpa”, diz amigo de estudantes que morreram em praxe

Tribunal repete julgamento dos jovens acusados da morte de três colegas.
Por Fátima Vilaça|09.11.18
"Eles eram nossos amigos. Passávamos os dias inteiros juntos. Só vivo bem comigo por não sentir qualquer culpa nesta tragédia". A garantia é de José Pedro Monteiro, visivelmente emocionado e num misto de indignação e revolta por voltar a sentar-se no banco dos réus, acusado do homicídio negligente de três colegas da licenciatura em Engenharia Informática da Universidade do Minho, que a 23 de abril de 2014 morreram numa ação de praxe.

O agora engenheiro informático, de 23 anos, diz sentir-se inocente e mostrou-se inconformado por a Câmara de Braga ter sido afastada do processo.

"Queremos colaborar com a Justiça, para que a verdade venha ao de cima. Mas há pessoas que deviam estar aqui e não estão, nomeadamente a Câmara de Braga. É ridículo a Câmara passar ilesa e nós continuarmos no processo até hoje", vincou José Pedro Monteiro, esta quinta-feira  no início da repetição do julgamento ordenada pelo Tribunal da Relação de Guimarães.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!