Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Sobreviveu a queda do sexto andar

Sorte, pura sorte. Mafalda Matos, de 20 anos, sobreviveu a uma queda de cerca de 24 metros, quando limpava uma janela e se desequilibrou, lançando-se no vazio.
2 de Janeiro de 2005 às 00:00
O acidente ocorreu na última quinta-feira, na Praceta de Brasília, S. Marcos, Sintra,
Uma queda de um sexto andar, a que se juntam o rés-do- chão e a cave, e que foi amortecida pela copa de uma palmeira, da família das ‘quências’, que, com o impacto, ficou com o tronco partido.
Segundo soube o nosso jornal, Mafalda partiu três costelas, uma das quais lhe perfurou o pulmão, e um dos pulsos. Depois de assistida no Hospital de S. Francisco Xavier, em Lisboa, a jovem foi transferida para o Hospital Egas Moniz, também na capital e onde a mãe da vítima é funcionária.
“A Mafalda e a irmã vivem no sexto andar e os pais no quinto. O que ela fez, eu também faço tantas vezes, sentar no parapeito da janela para limpar o vidro do lado de fora. Foi nessa altura que a moça se desequilibrou e caiu”, contou ao CM Conceição Pina, uma vizinha da jovem.
Segundo a mesma testemunha, Mafalda ficara em casa por causa de um trabalho para a faculdade e, depois disso, fora limpar os vidros das janelas do quarto, quando se desequilibrou e caiu. O irmão da vítima, que estava na casa dos pais, assim que soube do acidente prestou-lhe assistência até à chegada da equipa do INEM.
“Ela teve muita sorte, porque este sexto andar é muito alto”, disse ainda Conceição Pina. Segundo o nosso jornal apurou, a jovem vive com uma irmã mais velha num dos andares do edifício, enquanto o irmão mais novo vive com os pais no outro andar.
Ver comentários