Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

Socorro a náufragos só em horário de expediente

Os tripulantes dos salva-vidas do Instituto de Socorros a Náufragos (ISN) iniciam hoje uma greve de zelo que poderá ter consequências na capacidade de resposta a salvamentos marítimos. Os trabalhadores vão cumprir apenas o normal horário de trabalho – de segunda a sexta, entre as 09h00 e as 17h00 – deixando assim de haver socorro do ISN fora do horário normal de funcionamento.
1 de Fevereiro de 2008 às 00:30
O protesto de âmbito nacional, organizado pelo Sindicato Nacional dos Trabalhadores das Administração e Juntas Portuárias (SNTAJP), visa “sensibilizar os responsáveis com poder de decisão, neste caso o Ministro da Defesa, para um problema que se arrasta há anos e não tem solução à vista”, adiantou ao CM Serafim Gomes. O representante do SNTAJP afirma que “a classificação atribuída a estes homens nos anos 80 é injusta, uma vez que são considerados contínuos ou auxiliares”.
Serafim Gomes defende ainda que o protesto pretende mostrar a escassez de meios humanos e materiais: “Como é que um serviço como este prestado pelo ISN não tem sequer pessoal suficiente para fazer o horário normal”, questiona.
“São homens que trabalham por amor à camisola e, por isso, mereciam mais respeito por parte da tutela”, afirma.
Questionado sobre as consequências do protesto, Serafim Gomes relativizou a falta de tripulantes para as missões de socorro após as 17h00. “Se calhar põe tanto em causa essas missões como até agora.” Mesmo assim, o representante do SNTAJP admitiu que “nas ilhas do Algarve, onde o ISN ultrapassa as suas competências e ajuda as populações no seu transporte, vão ressentir-se pois poderão não ter como se movimentar”.
O Ministro da Defesa, Nuno Severiano Teixeira, admitiu ontem que “esta é uma questão que já vem detrás e está a ser tratada pela Secretaria de Estado dos Assuntos do Mar”.
Em relação às implicações que a greve de zelo dos tripulantes do ISN poderá ter nas missões de socorro marítimo, Nuno Severiano Teixeira afirmou ser “algo para o qual será arranjada uma solução”.
APONTAMENTOS
CINCO MESES À ESPERA
Desde Setembro que o SNTAJP tem tentado reunir com o ministro da Defesa. No entanto, até ontem, não tinha chegado qualquer resposta do Ministério.
TELEMÓVEIS
Os tripulantes das embarcações do ISN vão passar também a desligar os telemóveis fora do horário de serviço. Desta forma estarão incontactáveis em caso de emergência, ao contrário do que sucedia.
VAGAS
De acordo com o SNTAJP, as vagas que abriram recentemente no ISN serão preenchidas por trabalhadores que até agora estavam contratados a termo certo, pelo que não haverá um reforço real de efectivos.
Ver comentários