Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Solitário livre no estrangeiro

Nove dias depois da fuga da cadeia de Coimbra, ainda não há qualquer mandado internacional de captura em nome de Manuel Marques Simões, o ‘Solitário’. A emissão foi requerida pela PJ na semana passada, mas está pendente no Supremo Tribunal de Justiça.
16 de Março de 2005 às 00:00
Cada novo dia representa tempo que o fugitivo ganha às autoridades policiais. Tendo o ‘Solitário’ fixado residência em França desde a década de 70, a fuga para o estrangeiro é uma hipótese que tem de ser considerada com toda a seriedade.
Segundo apurou o Correio da Manhã, os investigadores têm contado com a colaboração de um antigo agente da PJ que esteve na base da detenção de Manuel Simões por 29 assaltos a bancos portugueses.
Esta ajuda pode revelar-se preciosa, pois o operacional reformado recebeu diversas cartas do ‘Solitário’ desde a prisão e tem, por isso, um profundo conhecimento do seu perfil. Mesmo assim, alguns investigadores temem perder a oportunidade de deter o fugitivo se o mandado internacional de captura não for emitido nos próximos dias.
Manuel Marques Simões, de 55 anos, cumpria na cadeia de Coimbra o primeiro de 15 anos de prisão, aguardando a decisão do recurso no Supremo Tribunal de Justiça.
As circunstâncias da fuga continuam a ser investigadas pela Direcção-Geral dos Serviços Prisionais, sobretudo quanto ao facto de o recluso estar encarregue de despejar o lixo e ter acesso ao exterior.
preso de viseu à solta
Em Viseu, o recluso que se evadiu da cadeia no dia 8 também continuava ontem a monte, apesar das acções levadas a cabo pelas autoridades policiais.
O fugitivo, de 33 anos e 1,60 metro de altura, é natural de Ponte da Barca e encontrava-se a cumprir a fase final de uma pena de três anos e dois meses por crimes de furto.
Neste caso, os pormenores relativos ao homem em fuga foram difundidos em tempo útil às autoridades policiais. Ou seja, a GNR e a PSP receberam de imediato, via fax, os elementos característicos do homem – nome, idade e residência – bem como uma fotografia “bem visível”. “Recebemos o alerta de imediato e a fotografia do recluso em fuga”, disse ao CM uma fonte do comando da GNR de Viseu. O recluso fugiu na altura em que estava no exterior a estender roupa. Apesar de vigiado por uma guarda prisional o homem logrou escapar e fê-lo com alguma facilidade. Saltou um muro de metro e meio de altura e escondeu-se numa vinha. Desconhece-se se o indivíduo teria ou não combinado a fuga com alguém. Os serviços prisionais abriram um inquérito para apurar em que circunstâncias em que aconteceu.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)