Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Sousa Cintra quer vedar acesso à praia

Sousa Cintra quer vedar um antigo caminho pedonal de acesso à Praia do Tonel, em Sagres, que considera estar dentro de uma propriedade que lhe pertence.
16 de Novembro de 2005 às 00:00
A intenção do conhecido empresário conta, porém, com a forte oposição da Junta de Freguesia e da população de Sagres, que já fez chegar à Câmara de Vila do Bispo um abaixo-assinado com mais de meio milhar de assinaturas a defender que se trata de um caminho público desde há muitas décadas.
As obras na propriedade de Sousa Cintra – terreno e moradia – estão já em curso e foram construídos um muro e os pilares para a montagem de um portão.
“Tenho 86 anos de idade e já passava por este caminho ao colo da minha mãe”, disse António Baptista, morador em Sagres.
A obra foi licenciada pela autarquia, mas ontem a polémica instalou-se na reunião de Câmara, onde o assunto foi discutido. Face às reclamações da população, o processo foi reapreciado e a autarquia verificou que tinha cometido um erro: licenciou com base em “informações incorrectas ou omissas”, nomeadamente no tocante à utilidade pública do caminho, até há duas décadas o único pelo qual se acedia à praia (ver caixa).
Um parecer jurídico exibido na reunião reconhece isso mesmo, mas foi necessário, por exigência do vereador socialista Rui Correia, pedir uma certidão aos serviços cadastrais comprovativa da existência do caminho. Isto apesar de Elmano Costa ter já revelado que foi o seu pai e o então dono da propriedade, que agora é de Sousa Cintra, a ceder, por volta de 1960, duas faixas de terreno “para melhoria do acesso, que é do povo”. A Câmara decidiu ao fim da tarde de ontem revogar a licença a a instalação do portão no “caminho público”. Sousa Cintra garante que vai entregar o assunto aos seus advogados: “Isto não tem precedentes”, disse.
"AQUILO É TUDO MEU"
Sousa Cintra garantiu ontem ao Correio da Manhã que a obra que tem em curso na sua propriedade na Praia do Tonel, em Sagres, “foi devidamente aprovada pela Câmara de Vila do Bispo e pelas entidades competentes”, pelo que não admite que a autarquia possa suspender os trabalhos.
“Não sei com podem sequer pensar nisso, pois está tudo claríssimo”, disse o empresário, que acusa de “ingratidão” aqueles que pretendem impedir o fecho do acesso pedonal ao areal: “Eu até dei um terreno para que fosse feito um acesso em condições – para pessoas e viaturas – à praia e o agradecimento que tenho é este”, frisou Sousa Cintra, que assegurou estar o caminho pedonal dentro da sua propriedade: “Aquilo é tudo meu, desde há muito tempo. Eu é que deixava as pessoas passar por ali em direcção à praia, mas agora decidi que era melhor construir um muro à volta do terreno e da moradia e colocar lá um portão”, referiu, frisando, por outro lado, que no projecto apresentado à autarquia “não há nada omisso”.
“O que se passa é que o presidente da Junta de Freguesia de Sagres, com quem eu já tenho algumas questões pendentes, nomeadamente por causa de alguns terrenos, resolveu contrariar-me e arrastou consigo outras pessoas”, disse ainda o empresário.
Ver comentários