Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Susto com derrocada

A queda de parte da fachada de um prédio a ser demolido ia provocando ontem uma tragédia no centro de Lisboa. Pelas 14h15, quando dezenas de pessoas circulavam nos passeios do cruzamento da avenida Miguel Bombarda com a Marquês de Tomar, assim como algumas viaturas em ambas as vias, a parte de cima de um prédio ruiu sobre o passeio. O incidente fez com que o andaime da obra tombasse para a estrada.

7 de Maio de 2009 às 00:30
Os destroços e o andaime não atingiram nenhum carro e peões por uma questão de sorte
Os destroços e o andaime não atingiram nenhum carro e peões por uma questão de sorte FOTO: Sérgio Lemos

O enorme estrondo e a grande nuvem de pó que se levantou chamou a atenção dos peões que por ali passavam, bem como das pessoas que almoçavam nas esplanadas. Apenas por uma questão de sorte ninguém foi atingido pelos destroços.

Para Emília Castela, responsável da Protecção Civil no local, tratou--se 'de um erro técnico de demolição, cujas causas são desconhecidas'. Quem não ganhou para o susto foram os operários.

'Não consegui perceber bem o que se passou, pois foi tudo muito rápido. Só sei que a parede cedeu e caiu sobre o passeio, fazendo o andaime abater-se sobre a estrada. Ainda bem que ninguém ia a passar, pois teria morrido quase de certeza. Foi um milagre', contou ao CM um operário da obra, muito nervoso.

Um agente da PSP encontrava-se junto ao local e, numa questão de minutos, três viaturas do Regimento de Sapadores dos Bombeiros de Lisboa, num total de 12 homens, chegaram ao local, isolando a zona. A polícia teve mesmo de cortar ao trânsito um sentido da avenida Marquês de Tomar e duas faixas da Miguel Bombarda para remoção dos destroços e perante o risco da queda total do andaime.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)