Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Taxista condenado por abusar de criança

Um taxista de Oliveira de Frades foi ontem condenado a cinco anos e dez meses de prisão e ao pagamento de 20 mil euros de indemnização por ter abusado sexualmente de uma menina de quatro anos em Outubro de 2004.
19 de Maio de 2006 às 00:00
Taxista preso quase seis anos
Taxista preso quase seis anos FOTO: Luís Oliveira
Jorge Silva, que efectuava o transporte de crianças para o jardim-de-infância, foi acusado de abuso sexual e coacção agravada. Segundo o acórdão, “pelo menos uma vez”, aproveitando “a relação de proximidade com a menor, depois de entregar as outras crianças”, levou-a “para um local isolado da freguesia de Souto de Lafões”, onde praticou os crimes. O indivíduo baixou as calças, sentou a vítima ao colo e depois friccionou os dedos e o pénis na vagina da criança até ejacular. De seguida, mostrou-lhe uma pistola e ameaçou-a, dizendo que a mataria e à mãe se contasse que se tinha passado, concluiu o Tribunal.
O caso descobriu-se quando foi diagnosticada gonorreia à menina, uma doença sexualmente transmissível que o taxista tinha. A criança confirmou o sucedido à mãe dois meses após os factos.
No decurso do julgamento, Jorge Silva negou as acusações, atribuindo--as à imaginação da menina e à cumplicidade dos seus familiares.
O advogado que representou a vítima, Sérgio Pereira, disse no final do julgamento que vai analisar o acórdão antes de tomar uma decisão sobre um eventual recurso. “Estava à espera de mais um ano de prisão. A nível da indemnização está mais ou menos. No mínimo, foi feita Justiça”, disse. O advogado do taxista, Pires de Almeida, escusou-se a fazer qualquer comentário.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)