Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Telemóvel de assaltante incendeia catorze carros

O fogo que deflagrou no parque camarário do Vasco Gil, na ilha da Madeira – constituído por centenas de viaturas para abate e outras apreendidas – foi causado pelo telemóvel usado por um ladrão de combustível. O aparelho activou-se e, em contacto com os gases da gasolina, incendiou-se e as chamas propagaram-se a 14 automóveis.
28 de Abril de 2007 às 00:00
O telemóvel activou-se e a faísca incendiou a gasolina e os carros, surpreendendo o ladrão
O telemóvel activou-se e a faísca incendiou a gasolina e os carros, surpreendendo o ladrão FOTO: Ilustração de Ricardo Cabral
A origem do fogo, que ocorreu na noite de quarta-feira, dia 18, foi investigada pela PSP e pela PJ do Funchal, mas foram os peritos do Laboratório de Polícia Científica a concluir que a fonte de ignição foi um telemóvel: ao ser accionado, as ondas magnéticas do aparelho foram suficientes para provocar a faísca que ateou as chamas. É por essa razão que o seu uso é proibido nos postos de combustíveis.
Segundo apurou ontem o CM, o telemóvel em causa, encontrado por investigadores da Polícia Judiciária no local onde o fogo começou, pertencia a um indivíduo que, estava a furtar gasolina de uma das viaturas guardadas no parque camarário. O assaltante usou um macaco, também recuperado, para inclinar uma viatura com o objectivo de abrir o depósito da gasolina, que começou a drenar para um alguidar, colocado ao seu lado, no chão.
“Ele contou que o telemóvel se acendeu e logo a seguir se incendiou”, explicou um elemento ligado à investigação, adiantando que o aparelho estava no chão, em contacto com o combustível ou pelo menos com os gases que estavam a ser libertados pela saída da gasolina.
Esta pista foi seguida pelos investigadores da PJ que, em colaboração com os peritos da Polícia Científica fizeram um estudo da difusão e uma reconstituição do incêndio para se perceber como tudo se passou.
A hipótese original de que se tratava de fogo posto ou de um acto de vandalismo foi assim posta de parte, já que estão reunidas provas de que a sua causa foi acidental.
ASSALTANTE IDENTIFICADO
O presumível autor do furto de combustível foi identificado pela Polícia Judiciária da Madeira. É um indivíduo de 30 anos, já conhecido das autoridades policiais pela prática de outros furtos. Foi constituído arguido e prestou Termo de Identidade e Residência, aguardando em liberdade a realização do inquérito. Deverá ser acusado de um crime de furto, punível com uma pena de prisão até três anos ou com pena de multa, mas cujo procedimento criminal depende de queixa.
MAU ESTADO
PARA ABATE
O parque de viaturas do Vasco Gil tem centenas de carros e motos, a maioria em mau estado, que foram abandonados ou apreendidos pelas autoridades. Dali seguem para abate.
COMBATE
O fogo foi combatido pelos Bombeiros Municipais da Madeira, que circunscreveram as chamas a um espaço de duas ou três filas de carros, e usaram espuma para o extinguir.
VIGILANTE
Noutra ocasião, o vigilante do parque de viaturas foi amarrado por um grupo de assaltantes, que até agora não foi identificado pelas autoridades.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)